29 de jul de 2008

CUFA promove Hip-Hop na Comunicade em dose dupla nesse fim de semana.


Neste sábado chega ao bairro Boa esperança o programa cultural da CUFA - Sinop Hip Hop na Comunidade (02/08), no CRAS (Centro Referência do Boa Esperança). E no domingo (03/08), será a vez do bairro Alto da Glória, exatamente na praça principal do bairro, as duas ações acontecem a partir das 14:00hs. Grupo Expressão Suburbana e Rapper Relatuz se comprometem em agitar a festa junto com o Dj Katatau tocando o melhor do Black Music.

Pelo cronograma da Central Única das Favelas essas serão as ultimas edições do Hip Hop na Comunidade desta temporada, sendo cogita a realização de mais 1 temporada com outras 4 edições ainda neste ano corrente, com as propostas de inclusão social através da cultura e do lazer o evento que é direcionado especialmente as comunidades carentes e por esse motivo o projeto conta com a presente e a plena participação de todos.

Assim todos estão convidados a prestigiar as apresentações culturais, participando das Oficinas de Break, Graffite, Rima, Basquete de Rua, e Capoeira. Conhecendo melhor os trabalhos dos coletivos parceiros, ACALF grupo de capoeira, e o movimento negro de Sinop AFROMIR.

Os objetivos foram concretos e conseguimos chegar ao ápice almejado, nas 02 edições anteriores conseguimos atrair tanto o publico do hip hop quanto as famílias moradoras das comunidades atendidas, isso fez com que mudemos nossa política de ação e para o final do corrente ano, realizar outra etapa do Hip Hop na Comunidade, atendendo outras 04 comunidades do nosso cultural progressista município. “Enfatiza o Coordenador da CUFA em Sinop Anderson Maciel”.

Apoio: Prefeitura de Sinop, ALUWAT, AFROMIR, ACALF, Associação dos Moradores Alto da Glória, Rádio Hits FM, ASW Sonorização.


Serviço:
O que: Hip Hop na Comunidade
Onde: Bairros Boa Esperança e Alto da Glória
Quando: 02 e 03 de agosto respectivamente
Horário: ambos a partir das 14:00horas

Trilhando o caminho das Pedras

Seminário Hip Hop Fora do Eixo reflete a sede em movimentar a cena no Centro Oeste.

Qual é o caminho das pedras? Essa foi uma questão aludida diversas vezes no 1º Seminário Hip Hop Fora do Eixo, realizado neste final de semana, em Goiânia (GO). Participaram as lideranças dos coletivos: Mega Break (GO); Ceneg (GO); Vietnã of Style (GO); V Coletivo (GO); União Bate Cabeça (GO); CUFA (GO); SoulCrimis (GO); Família Gueto (GO); Coletivo Negro Aquilombando (DF); a produtora social Griô Produções (DF), a CUFA (MT), além de artistas locais.

O seminário começou no sábado, dia 26, com a apresentação do Programa Fora do Eixo de Musica Independente, suas diretrizes e linhas de ações, no qual o Hip Hop Fora do Eixo é pautado, feita pelo rapper Linha Dura, coordenador da CUFA MT. As lideranças que estavam presentes sugeriram que fosse feita a explanação imediata do que seria o Hip Hop fora do Eixo, e assim a palestra foi conduzida.

Notava-se o interesse dos presentes em dar um up-grade nas ações que já vem sendo desenvolvidas na cidade, tais como oficinas, e projetos em comunidades carentes em Goiás. Os produtores e artistas locais também ressaltaram a dificuldade de visualizar de que forma um circuito auto-sustentável do hip hop será consolidado.

Linha Dura explicou que a otimização das forças de trabalhos é a grande sacada para que o Circuito Hip Hop Fora do Eixo seja consolidado, e que a organização das ações, promovendo o intercambio e a troca de tecnologia entre os envolvidos, é a maneira de se fazer consolidar. O debate e troca com o poder público também se faz necessário e fundamental nesse processo, para dar continuidade das ações que já são desenvolvidas, mas também para fomentar outras novas.

A idéia é que cada coletivo tenha um produto e que estes possam ser circulados criando mercado e público para o Hip Hop sem visibilidade. Só em Goiânia, existem cerca de 300 grupos de rap, e pouquíssimos deles circulam.

Já no domingo, dia 27, os dozes coletivos atuantes debateram também o papel da mídia independente, como uma frente de ação do circuito. A produtora Jaqueline Fernandes (Griô Produções, DF), e Fernanda Quevedo da CUFA MT deram noções básicas de como se fazer um release para os grupos, como montar um mailing e divulgar as ações promovidas. Ressaltaram também a mídia independente como uma forma de gestão auto-sustentável de produção de conteúdo e intercâmbio entre os coletivos, bem como o diálogo com a mídia de massa.

Os debates provocaram um debate caloroso e produtivo, onde um novo paradigma da cultura hip hop pode ser visualizado por todos. A participação expressiva dos coletivos demonstra a sede que este têm em modificar o habitual, ou seja, produzir mais festivais de rap, selos, capacitar novos agentes e dar visibilidade para os sem visibilidade. Isso indica que o Hip Hop do Centro Oeste viverá uma nova fase depois desse seminário em termos de produção, circulação, difusão e consumo.

25 de jul de 2008

Hip Hop Fora do Eixo será discutido em Goiania


Em Goiânia (GO), nos dia 26 e 27 de julho, acontece o 1º Seminário Hip Hop Fora do Eixo, este que é organizado por vários coletivos de Cultura Urbana do Centro Oeste, tais como CUFA (MT e GO), Aquilombando (DF), e Hip Hop Fora do Eixo (MS).


A intenção dos organizadores é de estimular a cadeia produtiva da cultura Hip Hop no Centro Oeste, e também de organizar os coletivos envolvidos. Participam produtores, artistas e representantes do movimento hip hop de Brasilia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás.


Entre as pautas estão a contextualização a rede de trabalhos Hip Hop Fora do Eixo, bem como estratégias de comunicação para a difusão e o consumo do Hip Hop. A auto-sustentabilidade dos envolvidos também estará entre as pautas de discussões em Goiânia.


Hip Hop Fora do Eixo é uma rede de trabalhos e produção cultural pautadas nos preceitos da economia solidária, onde os envolvidos objetivam tornar idéias em práticas sustentáveis.


O Hip Hop Fora do Eixo, começou a ser discutido em 2007, no seminário do Festival Consciência Hip Hop, onde apenas produtores e artistas de Mato Grosso participaram. Estes foram agregando mais pessoas através de um fórum virtual, hoje com setenta pessoas, no qual surgiu a idéia do 1º Seminário Hip Hop Fora do Eixo.


19 de jul de 2008

Curso capacita novos gestores em Comunicação Independentes em Sinop



Promovido pela CUFA, o curso visa à criação de um centro de mídia independente.

Por Fernanda Quevedo Favela Comunicação

Hoje começou em Sinop, um curso de capacitação em comunicação para membros de organizações e representantes de sociedade civil organizada. A intenção é formar núcleos de mídia independentes e, portanto gestores, nas organizações presentes, tal como o AFROMIR, ACALF, grupos de danças e representantes da juventude organizada do município de Juara. O curso foi ministrado pelos gestores da Favela Comunicação, Ronaldo Silva e Fernanda Quevedo.

Fernanda Quevedo falou sobre a importância da formação de núcleos de mídias independentes em organizações e movimentos sociais, esta que é uma demanda das organizações com práticas já consolidadas em Sinop. Também ensinou rapidamente como fazer um texto jornalístico e dialogar com a imprensa de forma organizada.

Já Ronaldo Silva, falou sobre os veículos de comunicação que podem ser criados, e utilizados com pouco ou nenhum custo. Falou rapidamente sobre os veículos de comunicação na web, como tv’s e rádios, afim de mostrar a facilidade e eficácia de produção desses veículos.

A coordenadora do ACALF (Associação de Capoeiras Lídio Filho), Renata Maluf, sugeriu que os representantes das organizações presentes já começassem a se movimentar no sentido de formar os núcleos de trocar tecnologias, e quem saber, formar um centro de mídia independente em Sinop.

Amanhã, no Hip Hop na comunidade, evento promovido pela CUFA Sinop, o curso continua. Os participantes do curso farão a cobertura de todo o evento, onde acontecem oficinas dos elementos do Hip Hop, e um show com o grupo local “Relatuz”.

16 de jul de 2008

Capoeiristas comemoram a homologação do IPHAN

Associação de Capoeira Lídio Filho se junta ao Hip Hop e promove ação na Praça União.

Por Fernanda Quevedo Favela Comunição

A Associação de Capoeira Lídia Filho (ACALF) de Sinop comemora a homologação do Iphan – Instituto de do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, na a qual a arte da capoeira passa a ser um bem cultural da natureza imaterial.


A associação coordenada por Renata Maluf, comemorará a homologação do jeito que lhe é mais característico: com roda de capoeira. A movimentação acontece integrada ao Hip Hop na Comunidade, evento promovido pela Central Única das Favelas, no dia 20 de julho, a partir das 14h00.

A ação envolve todas as pessoas que se sentem contempladas com a deliberação do IPHAN, uma vez que além de ser um patrimônio cultural, a arte da capoeira, também será contemplada com um sistema de Previdência Social, para os mestres da arte.

A ACALF, esta em Sinop desde 2000 e desenvolve a prática em vários outros estados. A associação, exemplo de luta e resistência conta com 30 integrantes em Sinop e atende em media 300 alunos por ano, estes oriundos de comunidades periféricas.

O coordenador da CUFA Sinop, Anderson Maciel, alegra-se com a participação da capoeira no Hip Hop na Comunidade, uma vez que este tipo de celebração vai ao encontro das atividades desenvolvidas pela organização em Sinop, ou seja, a contribuição no desenvolvimento humano de jovens por meio da arte negra
.

CUFA Sinop promove work shop de Comunicação Social

A atividade integra o Hip Hop na Comunidade

Por Fernanda Quevedo

Nesse final de semana segue o cronograma de atividades do Hip Hop na Comunidade promovida pela Centra Única das Favelas de Sinop. Dessa vez, o diferencial é o Work Shop de Comunicação, que acontece na Câmara dos Dirigentes Lojistas, no dia 19/07 a partir das 08h00.

O work shop, tem por objetivo capacitar novos agentes de produção na comunicação social. Um debate sobre a comunicação interna e externa das organizações e movimentos será feito com cerca de dez membros da CUFA Sinop, além de representantes de organizações do município. De que forma a comunicação de materializa e os benefícios de uma comunicação bem produzida farão parte dessa oficina.

Quem ministrará a oficina de comunicação, serão membros da CUFA de Cuiabá, Ronaldo Silva e Fernanda Quevedo.

Já o Hip Hop na Comunidade, continua com suas atividades, sendo oficinas de dj, mc, grafite e basquete de rua. Essa edição acontece no bairro União, em Sinop, a partir das 08h00. o Grupo Relatuz, fará uma apresentação de rap no local, mostrando as novidades que o grupo tem preparado para o seu público.

9 de jul de 2008

NESTE DOMINGO HIP HOP NA COMUNIDADE PRAÇA UNIÃO

Após ótima participação da comunidade do bairro São Cristóvão, o Hip Hop na Comunidade chega neste domingo, 13 de julho a partir das 14:00hs, até a Praça União, localizada no bairro Jequitibás, onde o ponto servirá de encontro das principais vertentes da cultura urbana de Sinop neste domingo.

Proporcionando inclusão á cidadania a CUFA juntamente com diversos parceiros realizam o Hip Hop na Comunidade que vem recheado de atividades para toda comunidade, dentre elas: Oficinas de Break, Graffite, Rima e Basquete de Rua, além da Oficina de Capoeira com o grupo ACALF.

O Movimento Negro de Sinop, AFROMIR, realizará exposição de materiais relacionados ao segmento, abrindo assim maior dialogo com a população, visando a conscientização e a importância da valorização da cultura étnica racial.

Relatuz declamará suas mensagens conscientes com show de rap e o Dj Katatau agitará o público com muita black music, o público sera agraciado ainda com sorteios de brindes da Hits Fm.

O que: Hip Hop na Comunidade
Onde: Praça União - bairro Jequitibás
Quando: 13 de julho (Domingo)
Horário: a pártir das 14:00hs

Apoio: Prefeitura de Sinop, ASW Sonorização e Iluminação, ALUWAT, ACALF, AFROMIR e Rádio Hits FM.

8 de jul de 2008

Moradores do São Cristóvão satisfeitos com Hip Hop na Comunidade

Com presença maciça dos jovens, o Hip Hop na Comunidade começou com o pé direito no bairro São Cristóvão, diversos jovens participaram das oficinas de Break, Graffite, Rima, Capoeira e Basquete de Rua que no improviso foi realizada com as lixeiras do Ginásio.

Destaque para o Stand de exposição proporcionado pelo movimento negro de Sinop, o AFROMIR, onde expuseram trabalhos e materiais desenvolvidos pelos diversos coletivos culturais, étnicos e sociais pertencentes ao AFROMIR, tirando todas as dúvidas do publico presente.

A jovem Nathiely ressaltou que não sabia do caminho para se chegar até o movimento negro da cidade, e que veio de bom grado saber de toda trajetória dos militantes sinopenses, além de servir para seu trabalho escolar.

Show do Grupo Relatúz e rodas livres de Break animaram o público sem contar na animada roda de Capoeira promovida pelo Grupo ACALF.

O melhor da black music, com muito rap e funk ficou a cargo da performance do Dj Katatau.

No próximo domingo 13 de julho a comunidade do bairro Jequitibás será agraciada com a realização da 2ª etapa do Hip Hop na Comunidade que será desenvolvida nas dependências da Praça União.

4 de jul de 2008

COLETIVOS LIGADOS A CULTURA NEGRA IRÃO COLABORAR NAS EDIÇÕES DO HIP HOP NA COMUNIDADE


Confirmada abertura do programa Hip Hop na Comunidade 2008, para este domingo próximo dia 06 de julho, no Ginásio Municipal de Esportes do bairro São Cristóvão, com programação recheada de ações sociais e culturais, como oficinas de capoeira, break, graffiti, rima e basquete de Rua, alem das apresentações de artistas mapeados da própria comunidade e a performance do Dj Katatau, a CUFA expande o numero de parceiros e ações já a partir desta 1ª edição do bairro São Cristóvão.

A confirmação foi feita após explanação do coordenador da Central em Sinop, durante reunião do Movimento Negro de Sinop, AFROMIR, Afro Movimento de Igualdade Racial, coletivos como o próprio AFROMIR, Grupo de Estudantes e Professores da UNEMAT e a Associação de Moradores do bairro Jequitibás, estarão em forma de oficinas e exposição de stands, levando ao conhecimento da comunidade os trabalhos e planejamentos desenvolvidos por cada coletivo, focando na estruturação do Movimento Negro da cidade, com intuito de acrescentar colaboradores neste processo de formação do AFROMIR.

Anderson ressalta que é importante a comunidade conhecer essas lideranças negras, que estão incansavelmente labutando por melhoras nas condições de vida dos menos favorecidos, que na sua grande maioria são negros e oriundos de favelas

Assim toda comunidade esta convidada a prestigiar as apresentações culturais, participar das oficinas culturais e conhecer melhor os trabalhos dos coletivos e do movimento negro sinopense AFROMIR.


1 de jul de 2008

E a galera já sente saudades da LIBBRA 2008!!!

Durante toda a LIBBRA, tanto no Rio de Janeiro quanto em São Paulo, a platéia realmente deu show. Foram muitas coreografias. O público dançou sem parar todas as mixagens comandadas pelos DJs em suas pick- ups. E o som de “Crank that superman”, do grupo Souljah Boy, vai deixar boas lembranças. E ainda no quesito coreografia, muito homem ficou de queixo caído com as charmosas Libretes. Elas requebraram muito ao som de Break it off, da cantora Rihanna, música escolhida como tema para a coreografia das dançarinas. Outra atração bastante especial, que também deu um ar de espaço da cultura urbana aos viadutos Negrão de Lima e do Chá, foi o colorido dos grafiteiros.
Tivemos várias participações especiais e eventos que marcaram o “Templo do Basquete de Rua” (Viaduto Negrão de Lima, no Rio) e o Viaduto do Chá, em Sampa. Exemplo disso foi a equipe das tranças afro, que deixou mais estilosos os cabelos dos basqueteiros e amantes do esporte.
Nos intervalos dos jogos, a quadra teve um pouco de tudo. Apresentaram-se capoeiristas, B-Girls e atores da Cia. de Teatro Tumulto, com o esquete “Bem-Me-Quer”. Nas batalhas, os MCs deixaram claras as suas opiniões e toda sua habilidade com as rimas.
Os B-Boys mostraram sua ginga e seus corpos quase elásticos na final da batalha de Break e, com melhor performance em cima do tapete quadriculado, a dupla que garantiu o 1° lugar foi Pizza (RJ) e Will (SP).
Fora da quadra, outra competição aconteceu. Os skatistas arriscaram manobras na modalidade OPEN, mostrando habilidade em cima de uma caixa de madeira com cantoneiras. Da pista montada no Anhangabaú, saíram os campeões Kauê e Paulo, ambos cariocas, que levaram o troféu do primeiro campeonato de Skate sobre caixas.
Voltando ao mundo do basquete, as bolas não pararam um só minuto. Os basqueteiros se apresentaram sempre com muito estilo, passando a bola por baixo das pernas dos adversários, enterrando a bola na cesta ou arriscando arremessos do meio da quadra. Times de vários Estados brasileiros disputaram a grande final da LIBBRA 2008, tais como Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.
No entanto, ficou nítida a presença de peso dos times cariocas, haja vista a formação do pódio masculino. Nele, só subiram equipes cariocas: em 1º, Madureira BDRB; em 2º, CUFA Brasil; e em 3º, Liga dos Mutantes. Já em relação às primeiras colocações femininas, houve uma maior diversificação. Em 1º, FUCAS (SC); em 2º, Magic Ball (SP); e em 3º, As Superpoderosas (DF).
Dentre os ilustres, além da cantora Paula Lima, que entoou o Hino Nacional Brasileiro na abertura dos jogos do dia 28, várias personalidades políticas prestigiaram a festa, tais como o Ministro da Justiça, Tarso Genro; o Ministro do Esporte, Orlando Silva; e a vereadora paulista, Soninha, a CUFA levou à cerimônia de encerramento da LIBBRA 2008 o jogador Serginho, atleta da seleção brasileira de vôlei.
Toda essa festa foi coberta por canais abertos e fechados de televisão, bem como por revistas e sites especializados em esportes, que vieram acompanhar a grande final da LIBBRA 2008.

Campeão Masculino: Madureira BDRB



Campeã Feminina: FUCAS

NOTA


A Central Única das Favelas de Sinop vem através deste solicitar desculpas e informar a todos os munícipes que a 1ª edição do Programa Hip Hop na Comunidade, a ser realizado no último domingo dia 29 de junho, nas dependências do Ginásio municipal de Esportes do bairro São Cristóvão, foi adiada para o próximo domingo, dia 06 de julho do corrente ano, a partir das 14:00 horas no mesmo Ginásio municipal de Esportes do bairro São Cristóvão.

A Central informa ainda que por motivos de problemas técnicos na sonorização e devido á realização do Concurso Federal da Caixa Econômica na escola municipal São Cristóvão, localizada a menos de 50 metros do Ginásio de Esportes, deferiu ser viável o adiamento do inicio do programa Hip Hop na Comunidade.

Sendo assim, a Central Única das Favelas reitera o convite para participação das Oficinas de Capoeira, Break, Graffite, Rima e Basquete de Rua, além das apresentações culturais da comunidade sinopense, neste domingo dia 06 de julho a partir das 14:00hs, no Ginásio de Esportes do São Cristóvão.