31 de dez de 2009

RETROSPECTIVA 2009...

Reveillon da Baixada - RJ

Por Lívia Kriukas.

Hoje a CUFA (Central Única das Favelas) de Sinop, juntamente com você is internaltas que acompanham o nosso trabalho no decorrer do ano através do blog, faremos algo diferente neste ultimo dia do ano, uma retrospectiva deste ano de 2009, relembrando nossos eventos. Começo pela LIIBRA no mês de julho com uma bela competição de basquete de rua, competição de BRANDAN em dupla e muito RPB (Rap Popular Brasileiro) para o público presente ouvir o nosso rap regional, que teve dentre eles nosso amigo Rei Rapper como campeão.


Neste decorrer do ano participamos de vários encontros da Cultura de Sinop, encontros esses que podemos ver o talento de nossos artistas sinopenses e regionais.


Passando para o mês de outubro realizamos o “Ação Criança” um evento voltado para as crianças da comunidade do bairro São Cristóvão, no dia delas, as mulheres do núcleo Maria Maria de Sinop, arregaçaram as mangas, colocaram a mão na massa e organizaram este evento de grande valia.


Já o mês de novembro foi suado, realizamos o Viradão Esportivo no ginásio do São Cristóvão com várias atividades esportivas durante dois dias, para toda a comunidade, tivemos também a prévia do Festival Consciência Hip Hop com batalha de Break, tendo premiação em dinheiro, tivemos também muito som com Mc Dinho e Mc Pato mandando um freestyle para a galera presente e também a grande presença do rapper Linha Dura e P. Brother de Cuiabá representando o rap cuiabano.


No começo de dezembro o orgulho de nosso trabalho sendo reconhecido, recebemos uma “Moção de Aplausos” do vereador Fernando Assunção juntamente com os demais vereadores da Câmara Municipal de Sinop.


Resumindo foi um ano corrido e proveitoso mais queremos mais, muito mais para 2010, aguardem novas mudanças e eventos a toda comunidade, mas sempre sendo nosso principal alvo os jovens sinopenses.


Feliz Ano Novo a todos, repleto de amor, harmonia, saúde e paz é o que deseja a família CUFA Sinop.

26 de dez de 2009

"Tchapa e Cruz", 1º CD de Linha Dura é lançado pelo Compacto.Rec

Jazz, Bossa Nova, Música Africana, Cultura Popoular matogrossense e a força do movimento Hip Hop. É essa mistura que o lançamento deste mês do Compacto.Rec traz. Linha Dura é um rapper cuiabano, que traz nas suas letras o cotidiano da periferia de Cuiabá, capital de Mato Grosso. Carregado de conteúdo sócio-político, as rimas de Linha são apoiadas em discursos de grandes nomes, como Paulo Freire.

Paulo Fagner da Silva Ávila, nome de batismo de Linha Dura é um rapper cuiabano engajado em movimento social e militante do Movimento Hip-Hop, desde o ano de 1996. A influência familiar traz em sua veia os sons e ritmos da raiz negra, que agora se mescla com tantas outras que recebeu pelo caminho. Além da música, Linha Dura é produtor de eventos como o Festival Consciência Hip Hop, filiado à Abrafin - Associação Brasileira dos Festivais Independentes - LIIBRA - Liga Internacional de Basquete de Rua etapa Mato Grosso, Movimentando Hip Hop e coordenador Estadual da CUFA MT.CUFA MT


Central Única das Favelas é uma rede de práticas sociais que teve inicio em 1998 e se vascularizou pelo Brasil, estando hoje nos 27 estados brasileiros. Se faz prática nacionalmente a partir do momento em que não existe identidade jurídica que faça da CUFA uma pessoa jurídica, mas várias organizações que vão desde Oscip's, Ong's, Associações, Grupos de Jovens, Grupos Artísticos, Grupo de Mães e afins, que aderem ao movimento social cuja filosofia e missão é atuar para que as pessoas de origem popular sejam elas jovens, homens, mulheres e crianças das favelas brasileiras em sua maioria negras, para que estas possam se empoderar dos seus direitos e deveres na sociedade e conseqüentemente possuir qualidade de vida em suas comunidades.

Em Mato Grosso se configura como um pólo de produção e gestão sócio-cultural, atuando nos mais diversos segmentos da Cultura e Cidadania, tais como a música, a dança, o esporte-arte, teatro e projetos de geração, emprego e renda. A CUFA é uma parcela da sociedade civil organizada, que trabalha de forma conjunta com outros movimentos sociais, sempre dialogando com as esferas públicas e privadas. Recentemente a CUFA inaugurou o Centro Esportivo Cultural, situado no bairro São João Del Rei, na periferia da cidade.COMPACTO.REC


O Compacto REC é um projeto que teve início em 2007, com o objetivo de lançar singles virtuais em rede, através dos veículos de comunicação integrados ao Circuito Fora do Eixo. A primeira banda lançada foi a Madame Saatan (PA). Na seqüência vieram artistas de todas as regiões do país como as elogiadas Bang Bang Babies (GO) e Filomedusa (AC). Os últimos lançamentos deste ano foram Porcas Borboletas (MG), Boddah Diciro (TO) e Rinoceronte (RS). Com a liberação dos fonogramas para downloads, o projeto alinha uma iniciativa de trocas para remunerar o autor do trabalho em um sistema de economia solidária, pautado na oferta de serviços e produtos integrados ao Circuito Fora do Eixo.


O DISCO


O primeiro disco do Linha Dura empresta a expresão "Tchapa e Cruz" como nome, que é o termo dado à pessoa que nasce e morre em Cuiabá. É também o nome de um grupo de Siriri e Cururu - a cultura popular periférica de Mato Grosso - que participa de faixas do CD, como "Identidade". Na música "Pensamento Próprio" vem por um outro caminho de pesquisa, em cima de textos e bibliografia e Paulo Freire criticando o sistema educacional brasileiro sob o beat acelerado. "Só a Capa da Gaita" é outra música marcante do álbum, que acabou se tornando hit do rapper. O CD apresenta mistura a cultura hip hop com a típica cuiabania, com violas de cocho, ganzá, mocho, jazz, toca-disco e o repente, além de ter um de conteúdo político e social que representa as lutas do Movimento Hip Hop em Cuiabá.

22 de dez de 2009

O Natal na Favela.


João sempre dobrou a esquina da favela sem terror, sem susto no coração. Nunca precisou separar os sofrimentos de um lado, nem as alegrias do outro. Pelo contrário, à sua vida só eram somadas alegrias, principalmente quando se aproximava o Natal, a data cristã que sua mãe tão bem lhe ensinara o significado.


Dona Matilde, sua mãe, lavava roupa para fora, deixando em cada peça que cuidava a marca de sua alma pura e limpa. Vivia só para ele. O menino João cresceu no morro sem brinquedos eletrônicos, nem skate, nem patins. A pipa era o seu brinquedo favorito. Toda vez que a colocava no ar, ele sentia alegria de menino rico. Ela, com certeza, levava aos ares a sua esperança de um dia viver uma vida confortável, sem que precisasse vender chocolates para ajudar no sustento da casa.


Quando se aproximava o Natal, parecia que João esquecia a pobreza, e seu coraçãozinho de criança se enchia de alegria porque sabia que Papai Noel ia chegar ao morro. O Papai Noel que subia ao moro nao era gordo, nem chegava de trenó. O Papai Noel era uma velha professora aposentada que todos os anos distribuía brinquedos confeccionados por ela para seus anjinhos carentes, que é como ela se referia às crianças daquele lugar.


Hoje a favela está diferente, pessoas importantes sobem o morro, não para ajudar, mas para negociar, são negócios altos que ele não entende. Só entende que há algum tempo o Papai Noel não chega até ele, e de vez em quando , familias correm desesperadas com medo dos homens maus que matam adolescentes e até crianças.


Quando o menino João volta de suas vendas, já não dobra a esquina da favela sem medo. Pede explicações à Dona Matilde, esta tenta explicar o inexplicável . João sai de sua ingenuidade e reza uma oração, pedindo ao Menino "Jesus proteção divina , paz entre todos os homens que habitam aquele local e que cubra de bençãos Papai Noel das crianças carentes, que hoje não pode mais subir ao morro, levando seus brinquedos e seu amor aquela gente tão sofrida da favela".
Por Lívia Kriukas

21 de dez de 2009

VÉSPERA DE NATAL

Por Lívia Kriukas.
Os sinos vem anunciar

que ele está para chegar

trazendo ao mundo PAZ e ESPERANÇA

só basta a ti ter confiança

jamais desista da caminhada

pois sempre é longa nossa estrada

no caminho certo deves seguir

Jesus menino vem te conduzir

convide todos não deixe ninguem faltar

ele tem ensinamentos e palavras lindas

a nos falar em seguidores

vamos nos transformar

nesse natal renove a fé

pois venceremos se DEUS quizer

fazendo o bem ao nosso irmão

nos entregando de coração

e assim um ano irá surgir

se caminharmos juntos vamos conseguir

fazer que tudo valeu a pena

que toda dificuldade fique pequena

pois somos muitos

e somos mais

somos unidos juntos a DEUS PAI.

13 de dez de 2009

Com rimas contundentes, Gog escreve sobre o escândalo de corrupção no DF

Em nova letra, o poeta do rap nacional critica a corrupção no DF


Gog, o poeta do rap nacional, acaba de concluir sua mais nova letra: Ponto Phinal. A música pronta, no entanto, pode sair a qualquer momento, segundo informa o rapper.
Ponto Phinal é uma espécie de continuação da já consagrada música "Brasil com P", que possui duas partes (duas músicas, na verdade) e possui uma característica particular que levanta a curiosidade do público e revela o talento de compor do rapper: todas as palavras iniciam com a letra "P".

Nesta nova música, Gog concentra suas criticas em cima do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, acusado de ser o comandante do esquema de corrupção no GDF, esquema este levado à tona através da operação da Polícia Federal, operação Caixa de Pandora.
De forma bastante inteligente, Gog questiona o por quê da distribuição de Panetones para a população carente (argumento utilizado pelo Governador do DF para justificar o recebimento de grande quantia em dinheiro) ao invés de realizar "pavimentação pública, paradas, pontes, pistas, postes".

Esta não é a primeira vez que Gog materializa o sentimento de toda a população. Na música "Fogo no Pavio", o rapper expõe os problemas das comunidades e a atuação dos políticos. Em seu último disco, a música "Malcom X foi à Meca e Gog ao Nordeste" traz uma citação aos fatos e ao governador do DF: "Escrevi fogo no pavio / Arruda me ligou / Infelizmente injustamente, foi eleito novamente / o povo realmente esquece bem rapidamente" (referindo-se ao caso da violaçao do Painel de votação do Senado Federal, escândalo que Arruda esteve envolvido).

Por Cultura Hip Hop Uol

12 de dez de 2009

"Tchapa e Cruz", 1º CD de Linha Dura é lançado pelo Compacto.Rec


Por Osvaldo Tancredo
Jazz, Bossa Nova, Música Africana, Cultura Popoular matogrossense e a força do movimento Hip Hop. É essa mistura que o lançamento deste mês do Compacto.Rec traz. Linha Dura é um rapper cuiabano, que traz nas suas letras o cotidiano da periferia de Cuiabá, capital de Mato Grosso. Carregado de conteúdo sócio-político, as rimas de Linha são apoiadas em discursos de grandes nomes, como Paulo Freire. Paulo Fagner da Silva Ávila, nome de batismo de Linha Dura é um rapper cuiabano engajado em movimento social e militante do Movimento Hip-Hop, desde o ano de 1996. A influência familiar traz em sua veia os sons e ritmos da raiz negra, que agora se mescla com tantas outras que recebeu pelo caminho. Além da música, Linha Dura é produtor de eventos como o Festival Consciência Hip Hop, filiado à Abrafin - Associação Brasileira dos Festivais Independentes - LIIBRA - Liga Internacional de Basquete de Rua etapa Mato Grosso, Movimentando Hip Hop e coordenador Estadual da CUFA MT. O primeiro disco do Linha Dura empresta a expresão "Tchapa e Cruz" como nome, que é o termo dado à pessoa que nasce e morre em Cuiabá. É também o nome de um grupo de Siriri e Cururu - a cultura popular periférica de Mato Grosso - que participa de faixas do CD, como "Identidade". Na música "Pensamento Próprio" vem por um outro caminho de pesquisa, em cima de textos e bibliografia e Paulo Freire criticando o sistema educacional brasileiro sob o beat acelerado. "Só a Capa da Gaita" é outra música marcante do álbum, que acabou se tornando hit do rapper. O CD apresenta mistura a cultura hip hop com a típica cuiabania, com violas de cocho, ganzá, mocho, jazz, toca-disco e o repente, além de ter um de conteúdo político e social que representa as lutas do Movimento Hip Hop em Cuiabá.

11 de dez de 2009

SELVA DE PEDRA - A FORTALEZA NOIADA

Documentário produzido na capital cearense pela CUFA aborda a questão do consumo de crack na cidade.


Há quase uma década o crack invadiu Fortaleza, conquistando novos consumidores em todos os setores sociais e faixas etárias. Outras mazelas sociais estão associadas ao uso de crack. A CUFA-CE buscou levantar essa questão, a partir da produção de um documentário, a ser lançado dia 01 de dezembro no Plenário 13 de Maio da Assembléia Legislativa do Ceará, em Fortaleza.


Confira!


Fortaleza convive com diversas mazelas sociais, entre elas o uso de drogas por parte da juventude — em particular o crack, sendo este um fator que reproduz outras novas mazelas.


Contendo até 75% de cocaína pura, o crack é considerado a forma mais eficaz de causar consumo compulsivo e dependência, produzindo imediatamente efeitos psicofísicos, com pico em cinco minutos.


A intensidade da euforia obtida parece contribuir para o potencial de dependência da droga, também proporcional à “fissura” pelo reuso da substância, que surge assim que os efeitos começam a dissipar-se — entre 10 a 20 minutos após a administração (por inalação da fumaça) levando à busca compulsiva por nova administração (“paulada”).


Os efeitos físicos observados são taquicardia, hipertensão, pupilas dilatadas, tensão muscular, tremores e sudorese intensa, e o uso crônico acarreta perda de peso significativa.


Há quase uma década o crack invadiu Fortaleza, conquistando novos consumidores em todos os setores sociais e faixas etárias, tanto pelo preço como pela capacidade de drogadição. É visto como uma droga “democrática”, que tem se alastrado de forma crescente ano após ano, deixando grande rastro de destruição por onde é usado.


Embora os primeiros episódios de consumo sejam marcados por euforia, sensação de bem-estar e desejo por repetir o uso (efeitos psíquicos desejáveis), a continuidade do consumo resulta em ansiedade, hostilidade e depressão (efeitos psíquicos colaterais indesejáveis).


Observou-se que os usuários tendem a consumir álcool para tentar obter o controle da ansiedade. Mas este mecanismo de controle não funciona e leva à dependência alcoólica.


Continuando o consumo do crack, doses mais altas muitas vezes produzem ilusões perceptivas (visuais e auditivas) e, finalmente, a psicose cocaínica, caracterizada por extrema hipervigilância, delírios paranóides e alucinações. As diversas readministrações podem acarretar períodos de consumo de horas e até dias, geralmente até o esgotamento do suprimento da droga. Nessas condições iniciam-se os casos criminosos — que passam a caracterizar a criminalidade aquisitiva, responsável pelo aumento (surtos) da violência.


Além disso, outras mazelas sociais estão associadas ao uso de crack, como a disseminação de DSTs/AIDS, hepatite, tuberculose, a troca da droga por sexo, a de vínculos conjugais, familiares, comunitários e sociais e a situação de risco (vida na rua) que é comumente observada em vários usuários.


O documentário Selva de Pedra – A Fortaleza Noiada encampa o desafio de fazer emergir com clareza e profundidade o fenômeno do consumo do crack na cidade e se propõe a fornecer elementos para que a sociedade e o poder público possam refletir juntos sobre esta problemática, de modo a preencher um vácuo na instrumentalização das políticas públicas de prevenção (que envolvem aspectos de saúde, educação, segurança etc.), tanto por parte do

Município como do Estado.


O objetivo maior é o de contribuir para o desenvolvimento de alternativas capazes de promover o possível enfrentamento competente desta grave patologia social, bem como instrumentalizar as fórmulas adequadas — para obter a recuperação dos jovens que se tornaram suas vítimas, bem como dos que ao seu redor foram atingidos, de alguma forma, pelos seus impactos sociais.


No seu todo, o registro audiovisual (DVD) faz um diagnóstico do perfil dos jovens usuários de

crack e um CD aborda musicalmente a temática do uso da droga em cidades cearenses, enquanto um livro sistematiza linearmente estes conteúdos — este kit intenta ser um contributo para a produção de conhecimentos sobre o tema e na elaboração e execução de estratégias eficazes e capazes de realizar o enfrentamento urgente da questão.

A meta é traçar um paralelo com o atual quadro hoje observado na capital cearense e expor os desafios que emolduram este “câncer social”, sentido, em verdade, por todos os seus moradores, porém com mais força nos setores ditos “populares”. Um dos resultados previstos é o lançamento da campanha Rede Aliança Social Contra o Crack, que ganhará repercussão após o lançamento do trabalho.

Como no documentário “Falcão - Meninos do Tráfico”, dos cariocas MV Bill e Celso Athayde, por meio do qual todo o Brasil conheceu uma outra face da violência, Selva de Pedra – a Fortaleza Noiada mergulha no circuito que envolve, ao mesmo tempo, os lados mais underground e mais elitizado da cidade, delineando uma cartografia das zonas atingidas pela droga e mostrando a estrutura do mercado que a envolve, as pessoas que dele participam, seu funcionamento, organização (ou desorganização), e seus códigos e leis internas, buscando desmistificar o discurso repressor-estatal, assim possibilitando uma análise mais aproximada da realidade que envolve esse complexo problema.

Selva de Pedra – A Fortaleza Noiada trata de ir além da postura "denuncista", "panfletária" ou mesmo a de "buscar culpados" entre as autoridades. O desafio, entretanto, é trazer à tona todas as contradições, dilemas e dificuldades envolvidos para entender e intervir em uma das maiores “pragas” que já recaiu sobre a juventude fortalezense e do Brasil, além de refletir sobre o impacto no aumento dos números de crimes relacionados ao consumo desta droga (situação que infelizmente se apresenta também em centros urbanos de todo o País).

A idéia central do documentário expande a usual visão estreita e limitada, maniqueísta, policialesca e de viés patológico, ou seja, restrita a uma abordagem em que o usuário é encarado ou como um doente ou como um bandido. Mais uma vez, o objetivo maior é trazer a público um olhar eficiente sobre os danos sociais que a droga acarreta ao usuário e ao seu entorno psicossocial. O CD Coletânea sobre o Crack, que integra o kit Selva de Pedra - A Fortaleza Noiada, traz uma faixa multimídia (interativa) com as cenas do documentário (acesse trailer em http://www.youtube.com/watch?v=Dz0BGThxD58) e foi lançado dia 20 de junho, na final cearense do Festival RPB-Rap Popular Brasileiro, no Condomínio Cultural da CUFA Ceará (Teatro da Boca Rica / Praia de Iracema).

O documentário tem pré-lançamento agendado nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul do País — também atingidas, cada qual à sua maneira particular, pela epidemia do crack.

9 de dez de 2009

Festival Consciência Hip Hop um Sucesso!


Por Lívia Kriukas
O tão esperado dia finalmente chegou e foi um sucesso, entre os dias 05 e 06 de dezembro aconteceu em Cuiabá a 5ª Edição do Festival Consciência Hip Hop, o maior evento de Hip Hop da região Centro Oeste.

Decerramento da Placa: Prefeito Wilson Santos e Linha Dura, coordenador da CUFA MT

Sábado pela manhã houve o lançamento do Centro Esportivo Cultural da CUFA que contou com a presença de varias autoridades do município e com a participação de outras CUFAs dos estados e município de Mato Grosso, tais como: CUFA Peixoto de Azevedo, CUFA Sinop, CUFA Primavera do Leste e CUFA Barra do Garças.

Grafiti


Logo após o lançamento deu-se inicio a uma intervenção de Grafiti, a onde os grafiteiros da região Centro Oeste poderam mostrar todo o seu talento e suas criatividades através da lata de spray no muro do CECC (Centro Esportivo Cultural da CUFA).


Projeto Pixaim


A tarde as atividades foram intensas; foi mostrado alguns tipos de penteados afro pelo Projeto PIXAIM, já no período noturno teve apresentações de vários shows de rap a partir das 19:00h, tendo formado a seguinte programação.




Ataque Beliz (DF)
19:00h - Mano Careca (MT)
19:25h - Atos 29 (MT)
19:50h - Wesley Dugueto (MT)
20:15h – Fase Terminal (MS)
20:50h - 288 FDK (MT)
21:15h - Fungos Funk (SP)
21:50h - Eko (GO)
22:25h - Ataque Beliz (DF).


Break

No domingo a partir das 9:00h da manhã teve inicio a reunião Ordinária da Frente Brasileira de Hip Hop e o Seminário de Sustentabilidade no Hip Hop, contando com a participação de 8 estados confirmados, além de diversos municípios do interior, o seminário foi ministrado pelo rapper “Linha Dura”, no qual passou para os B.boys e B.girls presentes a importância do Hip Hop em meio da sociedade, foi discutido também o Campeonato Brasil de Breaking Dance, batalha de B.boys e B.girls (BRANDAN), que será ralizado pela CUFA no ano de 2010.

Entre ás 14:00hrs e 16:00hrs aconteceu o ultimo seminário relacionado a Cultura Hip Hop com Alex Antunes de São Paulo, onde esteve falando sobre a Cultura Hip Hop, para fechar o período vespertino do evento foi realizado uma Grande Batalha de Break, onde duplas de B.Boys e B.girls de todos municípios e estados estavam presentes, a batalha marcou a confraternização de todos presentes no evento e teve como vecendor a dupla da Cidade de Primavera-MT.


A noite as apresentações dos shows continuaram a partir das 18:30h para finalizar com chave de ouro teve a seguinte programação.

Arcanjo (SP)

18:30h - Contraversia (MT)
18:55h - Altos e Baixos (MT)
19:20h – Demostro (MT)
19:45h – Erick Flow Man (GO)
20:20h - Carcara na viagem (RN)
20:55h - Arcanjo (SP).


O evento foi bastante prestigiado pelo público local e para fechar as apresentações teve um grande show com a Linha Dura e sua banda de Cuiaba-MT. Esse foi mais um grande evento do Festival Conciência Hip Hop realizando sua 5° edição, deixando várias expectativas para o ano que vem.

5 de dez de 2009

DIA DO VOLUNTÁRIO

05 de Dezembro Dia Mundial do Voluntário!

Por Lívia Kriukas.


Neste Dia Internacional do Voluntário, nós da CUFA (Central Única das Favelas) de Sinop parabenizamos a todos os voluntários que dedicam o seu tempo disponível em prol do próximo, não importando ser uma hora, um dia ou até mesmo um minuto, mais sim o que importa é a ajuda em si, que estará doando a uma pessoa, e o bem que o voluntário sente depois de doar um pouco de seu tempo, é um sentimento inesplicável, de dever comprido.



Mais em especial PARABÉNS a nossos voluntários da CUFA -Sinop/MT, que se dedicam o tempo que podem a ajudar nossos jovens, para que possam aprender a real Cultura do Hip Hop Nacional, mostrando um caminho melhor a eles para que não possam entrar no mundo das drogas e da criminalidade.


Já aqueles que pretendem apartir de hoje se tornar um voluntário e quem sabe entrar na CUFA para somar com a nossa família daremos a receita:


½ dose de Força de Vontade.
3 colheres de Disponibilidade1 copo de Boa Disposição.
2 copos de Compromisso Enche-te com meia colher de Força de Vontade até estares convencido. Junte 3 colheres de Disponibilidade e misture. Enquanto misturas prepara uma boa dose de Disposição, e por ultimo envolva tudo com Compromisso.
Estás pronto para ser um voluntário!

4 de dez de 2009

CUFA Recebe Moção de Aplausos.


Por Lívia Kriukas

Nesta utima segunda-feira dia 30 de novembro nós da CUFA (Central Única das Favelas) de Sinop estivemos presente na Câmara Municipal de Sinop para recebermos uma Moção de Aplauso nº. 040/2009 Autoria do Vereador Fernando Assunção e demais Vereadores da Assembléia de Sinop, concedendo Moção de Aplauso ao Sr. Anderson Maciel Ciriaco, Coordenador da CUFA- Sinop/MT, parabenizando-o pelo maravilhoso trabalho que a CUFA tem com os jovens dentro de Sinop, em especial elogiou o mês de novembro relembrando nossos eventos tais como Viradão Esportivo, Curso Economia Solidária e o Festival Consciência Hip Hop.

3 de dez de 2009

CUFA Realiza Última Edição do Prêmio Hutúz



O hip hop nunca mais será o mesmo depois do prêmio Hutúz. A premiação, considerada o Oscar da música negra, revolucionou o segmento hip hop, pois coloca a cultura negra e das periferias em evidência, agrega valor, gera auto-estima e credibilidade.


Em dez anos de história, passaram pelo palco do Hutúz mulheres, revelações, artistas do Norte e Nordeste, e outros tantos já consagrados. Maior prêmio da América Latina dedicado ao Hip Hop, o Hutúz foi reconhecido, nesses 10 anos de premiação, como um grande incentivador da cultura negra no país, premiando não somente os artistas, mas também quem atua nos “bastidores”, como produtores, grafiteiros, DJs, entre outros.




Em 2009, o Hutúz, além de premiar os melhores da década do cenário nacional em 14 categorias, homenageou Willian Santiago e Luis Serafim, criadores da Zimbabwe Records, a primeira gravadora a dar espaço para artistas negros. A premiação aconteceu no Canecão, consagrada casa de shows do Rio de Janeiro, e foi comandada por Nega Gizza e Netinho de Paula. Os mestres de cerimônia comandaram, sempre com muito bom humor e descontração, uma verdadeira festa, chamando ao palco os convidados que anunciaram os indicados e os vencedores.



O evento reuniu no palco figuras ilustres da música, do esporte e da cultura nacional, como Toni Garrido, Dudu Nobre, Sandra de Sá, Robson Caetano, Sérgio Loroza, Regina Casé, André Ramiro, Caetano Veloso, entre outros.






O público presente pode apreciar diversas apresentações, entre elas o show do grupo Ataque Beliz, vencedor do festival Rap Popular Brasileiro; de Sandra de Sá, que levantou o Canecão ao cantar “Olhos Coloridos”; de Dudu Nobre e de Caetano Veloso e Rappin Hood, que fecharam juntos essa grande celebração. A disputa era acirrada, mas o clima de festa permaneceu do início ao fim contagiando todos os presentes. Foi empolgante ver GOG, Racionais MC’s, Dexter, Sabotage, Realidade Cruel, MV Bill, RZO disputando o prêmio de melhor álbum.



O prêmio Hutúz cumpriu a missão de dar ao rap uma posição de destaque, ocupando espaços antes restritos ao segmento. Sua décima edição consagrou representantes da música negra no Brasil. O Hutúz comprova que o rap é música popular brasileira, incentivando, fortalecendo e valorizando a cultura Hip Hop.
No www.hutuz.com.br você confere todos os premiados.
Por CUFA DF.

2 de dez de 2009

Seminários Consciência Hip Hop.

Alex Antunes estará no Festival Consciência Hip Hop 2009.


O Festival Consciência Hip Hop configura-se como topo da cadeia produtiva do Hip Hop em nosso Estado, e, por conseguinte, tem a função de estimular a circulação, distribuição e consumo de artistas e agentes culturais envolvidos com essa linguagem. Assim, Rappers, Grafiteiros, B.boys, Djs reunir-se-ão em Cuiabá para qualificar ainda mais este processo.


Cleiton Rocha dos Santos (KakkO)

O Seminário Consciência Hip Hop e a Reunião da Frente Brasileira Hip Hop, que acontecerão durante o Festival, contam com a presença de Alex Antunes, Jornalista, produtor e escritor, especializado em música e atualmente trabalha na Revista Rolling Stones; Cleiton Rocha dos Santos (KakkO), produtor Cultural e coordenador da CUFA de Uberlândia (MG) e Rodrigo Pelarosi Comunicador do Coletivo Massa Coletiva de São Carlos (SP).


Confira a Programação de Seminários:



Dia 05/12 – Sábado
14: 00h Seminário Alèx Antunes
16:00h Seminário Comunicação no Hip Hop com Jovem Pelarosi (SP)


Dia 06/12 – Domingo
09:00h Reunião Frente Brasileira Hip Hop
14:00h Seminário Sustentabilidade no Hip Hop com Pablo Capilé (MT)
16:00h Seminário Comunicação no Hip Hop com Jovem Pelarosi


Toda a programação do Festival acontecerá no Centro Esportivo Cultural CUFA, localizado na rua Dr. Meireles, Nº 2845.

Por Fernanda Quevedo.

1 de dez de 2009

“Dia Mundial da Luta Contra AIDS”


Campanha alerta para riscos de transmissão e preconceito.


O Serviço de Atendimento Especializado de Sinop (SAE) realiza no próximo dia 1º de Dezembro uma programação voltada para conscientização sobre as doenças sexualmente transmissíveis em alusão ao “Dia Mundial de Luta contra a AIDS”. A campanha terá como temas: “Viver com Aids é possível. Com o preconceito não” e “Muito prazer, sexo sem DST”.


“Reconhecendo a dificuldade da população em identificar os sinais e sintomas das DST e do HIV, de falar sobre sexualidade com seus parceiros e de procurar tratamento no serviço de saúde, a campanha tem três focos: alertar, reconhecer e tratar”, destacou o coordenador municipal do Programa DST/AIDS em Sinop, Dr Walther Esteves.


De acordo com coordenador muitas pesquisas apontam que as pessoas têm preconceito, apesar de conhecerem as formas de transmissão do vírus do HIV. “Por isso, o maior desafio da AIDS é vencer, não somente a doença, mas o preconceito principalmente. E isto só é possível através da informação” alertou.


O Sae trabalha com atendimento médico, psicológico e de assistência social aos portadores de doenças sexualmente transmissíveis de Sinop e região. São realizados diariamente orientação, aconselhamento e exames de HIV, Hepatite e Sífiles.


Atualmente recebem acompanhamento pacientes de: Sinop (190), Sorriso (105), Lucas do Rio Verde (38), Peixoto de Azevedo(27), Guarantã do Norte (22), Colíder (20), Tapurah (13), Vera (13), Juara (08), Feliz Natal (06), Cláudia (06), Castelo dos Sonhos (04), Ipiranga do Norte (04), Itaúba (03), Nova Canaã do Norte (03) , Marcelandia (03), Novo Progresso (03), Matupá (02), Nova Ubiratã (02),Paranaíta (02), Santa Rita do Trivelato (02), Terra Nova do Norte (02), Alta Floresta (01), Itanhanga (01), Novo Mundo (01). O Sae registrou 97 novos casos em 2008 e mais 75 casos em 2009.


A Campanha será realizada no dia 1ª de novembro no SAE em diversos pontos da cidade em parceria com a Fasipe, UFMT, Capas e Pastoral da AIDS. Confira a programação:
Pit Stop - distribuição de folhetos e preservativos em diversos pontos da cidade:
7h30 ás 9h30 – Rotatória da Av. Vitória Régia e Av. Júlio Campos com Av. das Sibipirunas;
7h ás 8h30- Fasipe
6h ás 9h
- em frente à Unidade de Saúde da Família no bairro Alto da Glória;
15h ás 17h30- Campus da UFMT
15h30
e período noturno- boates e bares
16h ás 18h – Rotatória em frente ao Supermercado Machado na Av. das Itaúbas; viaduto próximo à Paloma Veículos; Av. das Sibipirunas próximo ao Ceprotec; em frente ao Machado Super Center ; Av. Júlio Campos com a Av. das Sibipirunas; Semáforo do Banco do Brasil
18h30 ás 20h - Fasipe


O SAE esta localizado na Av. das Figueiras, 1090, Centro.


Por Adriana Hartwig