28 de jan de 2010

Segundo dia de Encontro Nacional

Diretor da Globo participa do Encontro da CUFA.
Na manhã desta quinta-feira, 28, o V Encontro Nacional da CUFA recebeu como convidado o diretor de Planejamento e Projetos Sociais da Rede Globo, Albert Alcoulombre Jr., para a falar sobre Responsabilidade Social e a relação de parceria entre CUFA e Globo.



O Diretor abordou temas como organização em rede, projetos sociais, parcerias e articulação com as mídias. Exemplos como o Ação Global e Amigos da Escola ilustraram algumas das articulações da Globo na área social.
Segundo Albert, a Globo trabalha especificamente na comunicação e faz parcerias com entidades que desenvolvem os projetos sociais na base mas, frisou que “a comunicação não é milagrosa, ela só funciona a partir de um planejamento global de cada ação, de cada projeto”.


Para mim, pessoalmente, e para a área social da Globo, é um prazer participar do Encontro da CUFA”. Albert Alcoulombre Jr.


Após as falas, a coordenadora da base da CUFA em Porto Alegre, Ivanete Pereira, presenteou o convidado com o livro Os Zumbis da Pedra, da CUFA RS.

Ao final da mesa, a integração de todos os participantes.


I Encontro da Comunicação Nacional da CUFA Paralelo ao Encontro Nacional, o grupo de comunicação nacional da CUFA está realizando o I Encontro de Comunicação Nacional da CUFA. A primeira pauta foi a consolidação da identidade da CUFA Nacional, com a definição da Missão, Visão e Valores. Na sexta-feira, 29, a equipe apresentará a estrutura da comunicação nacional da CUFA em plenária.


Equipe de comunicação em atividade

Por CUFA CACHOEIRA DO SUL

27 de jan de 2010

Começa o Encontro da CUFA em Porto Alegre

Com a presença de diversos Estados do território nacional, o V Encontro Nacional da CUFA iniciou, no dia 27 quarta-feira em Porto Alegre, com a apresentação e planejamento para 2010 de cada Estado presente.


Após a recepção e integração dos participantes no Hotel, com entrega do material e camisas do Encontro, a equipe do Rio Grande do Sul abriu os trabalhos com a mesa de boas vindas com o Coordenador Geral do Estado, Manoel Soares e a Coordenadora Administrativa, Dinorá Rodrigues.



Cada Encontro Nacional realizado é mais um passo que a CUFA dá para o futuro. A integração de diversas culturas oportuniza a criação de novas tecnologias sociais”, enfatizou Dinorá.


As apresentações dos Estados enfatizaram as conquistas, projetos em andamento e novos projetos para 2010. São momentos onde podemos interagir mais e conhecer melhor as ações de cada base da CUFA no Brasil.
A partir de amanhã, dia 28, as mesas irão trabalhar mais especificamente todas as ações e articulações da CUFA Nacional e nos Estados, com a presença de convidados que irão contribuir com o planejamento de 2010.


Por CUFA CACHOEIRA DO SUL

26 de jan de 2010

Porto Alegre sediará V encontro nacional da CUFA



Porto Alegre terá os sotaques e as cores do Brasil com a realização do V Encontro Nacional da CUFA – Central Única das Favelas que acontece entre os dias 27 e 31 de janeiro. O evento contará com a participação de mais de 50 representantes da CUFA de todas as regiões do país e tem como principal objetivo discutir e planejar as ações da entidade que serão realizadas em 2010. Na programação além dos momentos de avaliação os participantes receberão orientações sobre elaboração de projetos, articulação política com entidades governamentais e instituições privadas, e ainda a formulação dos principais projetos realizados a nível nacional pela CUFA tais como: LIIBRA – Liga Internacional de Basquete de Rua, RPB – Rap Popular Brasileiro, Bradan Brasil Break Dance, Cine CUFA, Viradão Esportivo, entre outros. O Encontro termina no domingo, dia 31, com visita à base da CUFA na Capital gaúcha que inclui ainda o viaduto Imperatriz que foi cedido, no mês tal, para a realização de atividades educativas e esportivas da entidade. Além do Rio Grande do Sul, dezessete estados que possuem bases da CUFA em suas cidades já confirmaram participação no Encontro, são eles: Pará, Tocantins, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. Ainda durante o V Encontro Nacional da CUFA será realizado, paralelamente, nos dias 27 e 28, o 1º Encontro Nacional de Comunicação da entidade.Os encontros nacionais da CUFA são realizados desde 2006. As duas primeiras edições ocorreram no Rio de Janeiro, na Cidade de Deus. Brasília e Cuiabá foram sedes dos encontros de 2008 e 2009, respectivamente.

Por Flávia Quirino

23 de jan de 2010

A CUFA entra com Ação Publica contra Consul Haitiano

Participe do Manifesto você também, e confira a notícia completa no site:

http://www.manifestohaiti.cufa.org.br/in.php?id=home


14 de jan de 2010

Haiti uma trajédia no dia "13".



O terremoto de 7 graus na escala Richter ocorreu às 19h53 de Brasília na última terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do Haiti.
Além dos 14 soldados brasileiros mortos, a brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor.


PORTO PRÍNCIPE - Em estado de choque, muitos haitianos vagavam nesta quinta-feira pelas ruas de Porto Príncipe, buscando desesperadamente água, comida e remédio. "Dinheiro não vale nada agora; água é a moeda", disse um funcionário de ajuda humanitária. O desespero da população ocorria apesar de equipes de resgate e de auxílio humanitário começarem a chegar ao país depois do terremoto de terça-feira (12). O tremor, de 7 graus na escala Ritcher, foi o pior a atingir o país em 200 anos.


Visivelmente comovido com a tragédia, o presidente dos Estados Unidos,Barack Obama, anunciou nesta quinta-feira uma ajuda inicial de US$ 100 milhões para o Haiti e ordenou que seu governo coloque no topo da agenda a ajuda a esse país. Também nesta quinta-feira, o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, anunciou que a instituição oferecerá US$ 100 milhões "de forma imediata" ao Haiti para se recuperar do terremoto da terça-feira.
O governo brasileiro anunciou nesta quinta-feira seu plano de emergência, afirmando que ele tem o objetivo de lidar com os cinco problemas mais graves detectados no Haiti: o enterro dos mortos, o socorro médico aos feridos, a remoção dos escombros, o reforço da segurança nas operações e a distribuição de alimentos e água.


Sem um número definido de mortos e desaparecidos, as equipes de resgate enfrentam dificuldades para a organização e a locomoção pelas cidades haitianas por causa do estado das ruas e estradas após o terremoto.
Ainda não havia sinais de operações de resgate organizadas para as vítimas sob os escombros, e os médicos no Haiti, o país mais pobre do Ocidente, estavam mal equipados para tratar os feridos. Muitos haitianos tentavam remover com as próprias mãos pedaços de concreto, buscando libertar os que foram enterrados vivos.A Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou nesta quinta-feira a morte de pelo menos 36 funcionários após o desabamento da sede da entidade no Haiti e de outros prédios.
Entre os mortos estão quatro policiais da ONU, 13 funcionários civis e 19 militares, disse o alto representante da ONU David Wimhurst. O Exército brasileiro informou que 14 soldados do Brasil estão entre os mortos. A organização tem 200 desaparecidos sob os escombros.
A Cruz Vermelha haitiana estimou o número de mortos entre 45 mil e 50 mil e em 3 milhões os afetados pelo tremor. Há dezenas ou centenas de milhares de pessoas que perderam suas casas. Por causa do grau de destruição, autoridades haitianas chegaram até a afirmar na quarta-feira que o número de mortos poderia chegar a 100 mil.
População em choque
Na noite de quarta-feira, os sobreviventes dormiram nas ruas com medo de voltar para suas casas precárias. Era possível ver mulheres cantando canções religiosas tradicionais no escuro, enquanto oravam para os mortos."Elas cantam porque querem que Deus faça alguma coisa. Elas querem que Deus as ajude. Todos queremos", disse Dermene Duma, funcionária do Hotel Villa Creole, que perdeu quatro parentes.Saqueadores invadiram um supermercado danificado pelo tremor em um bairro de Porto Príncipe, levando eletrônicos e sacos de arroz. Outros tiraram gasolina de um caminhão-tanque quebrado."Todos os policiais estão ocupados resgatando e enterrando suas próprias famílias", disse Manuel Deheusch, o dono de uma fábrica de telhas. "Eles não têm tempo de patrulhar as ruas."
A Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah, na sigla em francês), dirigida militarmente pelo Brasil, voltou suas atenções para resgatar as vítimas do tremor e garantir a ordem pública nas ruas do país.
"Soldados e policiais da ONU estão em patrulha noite e dia desde que ocorreu o terremoto, para assim manter a ordem e ajudar nas operações de resgate", disse o porta-voz interino da Minustah, Vincenzo Pugliese, em comunicado divulgado na sede da ONU em Nova York.
A Minustah foi criada em 2004 pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas para restaurar a ordem depois da violenta queda e saída do país do ex-presidente Jean Bertrand Aristide. Atualmente, conta com mais de sete mil militares e dois mil policiais, além de quase 1.800 funcionários civis de diferentes países.


Por site noticias.com.

9 de jan de 2010

Mais de 1.300 vagas para presos e ex-detentos.



Portal de Oportunidades do CNJ oferece mais de 1.300 vagas para presos e ex-detentos




Em funcionamento há pouco mais de um mês, o Portal de Oportunidades do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) já oferece 1.314 vagas de cursos e empregos para presos e egressos do sistema carcerário. O sistema, disponível no site do CNJ (http://www.cnj.jus.br/), oferece a empresas, órgãos públicos e entidades um espaço para ofertar as vagas, no intuito de contribuir para a reintegração social de ex-detentos. "O sistema ainda está em processo de atualização, e com a adesão dos parceiros a expectativa é de que consigamos superar as cinco mil vagas", destaca o juiz auxiliar da presidência do CNJ e coordenador nacional dos mutirões carcerários, Erivaldo Ribeiro.


A iniciativa faz parte da segunda etapa do projeto Começar de Novo do CNJ, lançada no início do mês passado, com o objetivo de intensificar ações e parcerias para oferecer capacitação profissional e oportunidades de trabalho a pessoas que passaram pelo sistema carcerário. Ao todo, 178 vagas de emprego estão sendo ofertadas no Portal de Oportunidades, em diferentes estados brasileiros, como São Paulo, Santa Catarina, Goiás, Distrito federal, Ceará, entre outros. As oportunidades abrangem áreas diversas, como vendedor de jornal, serralheiro, soldador e office-boy. A maior parte das vagas são para auxiliar de administração, auxiliar de serviços gerais e mecânico.


Além das ofertas de emprego, outras 1.204 vagas estão abertas para cursos de formação profissional, em Campinas (SP) e Cuiabá (MT). A maior parte delas se refere a capacitações em construção civil, pedreiro, carpinteiro, encanador, pintor imobiliário, eletricista predial, auxiliar administrativo e artesanato. Segundo Erivaldo Ribeiro, a partir do próximo mês começarão a ser instituídos os grupos gestores do programa nos Tribunais de Justiça de todas as unidades da federação, que ficarão responsáveis, juntamente com o Conselho da Comunidade, por fazer a seleção dos candidatos e encaminhá-los às vagas.


Novas vagas - Para cadastrar novas vagas de emprego ou cursos, empresas e instituições interessadas devem entrar no banner do projeto Começar de Novo, disponível na página principal do CNJ (http://www.cnj.jus.br/) e acessar o sistema do programa. Para se cadastrar no portal é obrigatório informar o CNPJ. Apenas os conselhos da comunidade, os magistrados cadastrados e as instituições parceiras, que serão cadastradas pelo grupo gestor, podem ter acesso às informações disponibilizadas no site.


O CNJ também já está estabelecendo contato com todos os parceiros, que por meio de convênios se comprometeram a oferecer vagas de trabalho a ex-detentos, para incluí-las no sistema. Só o governo de São Paulo já se comprometeu a oferecer cerca de cinco mil vagas a egressos do sistema prisional a partir de 2010. As ações do Começar de Novo já abrangem convênios com entidades como Sesi, Senai e Fiesp, entre outras entidades, que visam o treinamento, a capacitação e a profissionalização dessas pessoas, de forma que tenham alternativas para não voltarem à prática de crimes.


Por Agência CNJ de Notícias.

8 de jan de 2010

"VERBALIZE" COM MV BILL


MV Bill "Verbaliza" sobre temáticas contemporâneas já em 2010.


A campanha “Verbalize” desenvolvida pelo rapper, escritor e cineasta MV Bill, teve foco no “tráfico de informação” por meio de tecnologia popular. O ativista sócio-musical aborda temas contemporâneos em vídeos para celular, já disponível em todo território nacional. Na estréia MV Bill Verbaliza sobre violência, drogas, gravidez, sexo e política. E para acessar os vídeos, você pode escolher seu melhor caminho.http://www.claroideias.com.br/ / Claro Videos / Videos Download ou siga o link direto:

http://www.claroideias.com.br/portal/site/CIdeias/menuitem.7df34df2cc1d8a7933d1593b22dc10a0/&idlocal=50 Escolha o modelo do seu celular Claro. Na Categoria Comportamento escolha seu tema favorito e baixe conteúdos MV Bill. Mas se você é cliente Claro, apenas envie MVBILL para 49955 e receba os vídeos em seu celular. Para as demais operadoras (BrasilTelecom, Vivo e Tim) acesse o site da Plugo.http://www.plugo.com.br/http://www.wtn.com.br/


Participe!


Mande suas sugestões para novos Verbalizes através dos canais MV Bill.


Site oficial (http://www.mvbill.com.br/






Por Chapa Preta.

6 de jan de 2010

REIS DA RUA

Conhecendo um pouco masi dos jogadores da seleção do Brasil de Basquete de Rua, são eles:

Nome: Adamastor
Nasc.:15/07/1980
Altura:2,04Peso:98kg
Profissão:Motorista e ajudante de caminhão
UF:SP
Equipe: Carne de PescoçoAdamastor - Tradicional atleta do campeonato em 2009 jogou pelo Rio Grande do Sul pelo Carne de Pescoço.
Começou sua carreira aos 20 anos de idade com o incentivo de seu prof. de Educação Física para que não se perdesse no mundo do crime.Adamastor treinava sozinho sem receber nenhum tipo de apoio, por amor ao basquete de rua. Seu primeiro clube foi o time do Marcel(ex. Jogador da seleção brasileira, que joga com Oscar). Ficaram em 3º lugar no torneio Novo Mileniun, E em 2º nos jogos abertos de Campos, e foi campeão Paulista na série A2. Campeão da liga de Ribeirão Preto, campeão regional jogos de Penápolis, vice campeão dos jogos abertos de Piracicaba e vice campeão paulista.

Nome: Alan Ferreira da Conceição
Nasc.: 26/01/1985
Altura:1,89Peso:85
Profissão: Prof. de Educ. Fisica
UF:RJ
Equipe: Cufa Campos ( acesse o blog )Alan – pela primeira vez disputou a Liibra. Representante da equipe de Campos que levou o vice-campeonato pra casa.

Nome: Rafael Alves
Nasc.:07/06/85
Altura:1,97
Peso: 78
Profissão: Atleta
UF:RJ
Equipe:Lendas e Cabo FrioAlves – Carioca da Cruzada São Sebastião Já foi campeão brasileiro pelo Madureira em 2008.
Começou a jogar basquete com com 13 anos na ABB - Associação Atletica do Banco do Brasil, com 15 foi para o Botafogo, depois foi para o Flamengo e voltou para o Botafogo. Também jogou pelo América. Participou de vários Campeonato Regionais e Abertos. Foi vice campeão no campeonato adulto em 2007 pela Rio Pan, foi vice-campeão do Campeonato Estadual pelo Flamento. Começou no basquete de rua em 2007 por hobby. Foi eleito o melhor jogador da LIIBRA em 2008 e em 2009, participou da LIIBRA com a equipe Lendas Urbanas.

Nome: Eduardo Henrique P. (Banana)
Nasc.:06/08/1982
Altura:1,98
Peso:86
Profissão:Atleta
UF:RJ
Equipe: Cabo FrioBanana – Em 2009 jogou por Cabo Frio e fez bonito nas enterradas!
Começou a jogar com 16 anos, com 20 nunca tinha participado de nenhuma categioria de base, então, passou num teste para a equipe do Tijuca Tênis Clube, onde jogou por um tempo mas, devido a uma tragédia na faília, se desligou da equipe. Voltou para o basquete em 2005, pela Cufa. Foi campeão no campeonato de enterrada, jogou o campeonato carioca e o time foi para a semi-final. Foi campeão da Liibra em 2007 pelo time de Madureira e em 2008 foi para Cabo Frio e foi campeão da Liibra novamente. Em 2009 entrou para a marinha como atleta e vai representar a marinha no mundial em 2010. Joga na posição: ALA

Nome: Carlos Cesar S. Jr (Carlinhos)
Nasc.:13/01/1981
Altura:2,00
Peso:103
Profissão:Atleta
UF:RJ
Equipe: LendasCarlinhos – Carlinhos Soul! Basqueteiro de Rua nato desconsertou a equipe Chilena no Desafio Internacional de 2008 com suas jogadas ágeis e enterradas brilhantes. Há 13 anos em 1996 começou a jogar basquete. O primo incentivou muito, era jogador de basquete de rua. Começou com 15 anos, jogou em vários clubes, nas categorias de base do Fluminense, jogou no flamengo, no time do Oscar, no time da Prefeitura do Rio, no campeonato universitário e atualmente é atleta da marinha e joga no time no profissional de basquete.O apelido surgiu, pois cada um tinha um apelido, o primo começou a chamá-lo de Soul... Depois de muito tempo ele criou uma marca esportiva e batizou de Soul, são roupas esportivas e assessórios.

Nome:Leandro S. de Lima (Discreto)
Nasc.:04/12/1983
Altura:1,97
Peso:105
Profissão:Ass. Administrativo
UF:RJ
Equipe:Lendas Leandro – Apesar do apelido ser Discreto não tem como não notar em quadra o campeão de 2007 pelo Cufa Brasil.

Nome:Tiagão
Nasc.:28/08/1981
Altura:1,97
Peso:96
Profissão: Estudante
UF:RS
Equipe: Carne de PescoçoTiagão – O cara é grande! E talentoso em quadra!
Representante dos pampas jogou pelo Carne de Pescoço, time Gaucho que abalou o Viaduto de Madureira na Liibra 2009 com muito basquete de rua. Aos 11 anos, em uma roda de amigos surgiu a vontade de jogar basquete, mas por ser um esporte de pouco acesso no Rio Grande do Sul rotulado como um esporte de Elite e por questões financeiras não pode dar continuidade. Aos 16 anos, através de um amigo, surgiu a oportunidade de participar do renomado Clube de Basquete Cruzeiro do Sul. Através do seu empenho e sua dedicação conseguiu uma bolsa para treinar. Ficou no clube durante cinco anos, onde participou de vários campeonatos, tais como: Campeonato Paulista serie Az, Gauchão, Sr Pompéia, sendo cestinha por dois anos consecutivos no Campeonato Municipal aberto de Porto Alegre. Atualmente joga pelo time da Universidade Feevale.

Nome:Fábio Guedes (Timbola)
Nasc.:23/08/1979
Altura:1,98
Peso:110
Profissão: Funcionário público
UF:RJ
Equipe:Liga dos Mutantes Começou em 1994 aos 15 anos.
O jogador de basquete Claudinei era atleta do Flamengo e morava na Fazenda Botafogo, bairro que Fábio nasceu. Claudinei foi realizador de alguns projetos esportivos que davam direito a bolsa escolar para os jovens do bairro Fazenda Botafogo, Fábio participou desses projetos.De 1994 até 1998 – Fez parte da escolinha de basquete da Fazenda Botafogo, e no fim de 1998 foi jogar no Jequiá Iate Club, na Ilha do Governador. De 1998 até 2002 - Foi para o Tijuca Tênis Clube e jogar como pivô. De 2002 até 2006 – Parou de jogar profissionalmente, começou a estudar e trabalhar em uma agência de turismo.Em 2006 – Formou com o amigo de infância, Anderson, a equipe Fazenda Botafogo que depois de um tempo passou a se chamar Liga dos Mutantes, devido a seriedade e a altura dos jogadores. O apelido Timbola vem da época de escola, os amigos achavam que Fábio parecia um integrante do grupo musical Timbalada. Hoje Fábio trabalha na área de segurança.

Nome:Fernando Noel (Índio)
Nasc.:09/08/79
Altura:1.95
Peso:90kg
Profissão:Segurança
UF:CE
Equipe:OAB CrocobeachTeve início no basquete de rua na adolescência, através de roda de amigos da escola, sendo assim não parou mais, aos 20 anos residindo em São Paulo freqüentava os Rachas (quadra de basquete) do Ibirapuera onde sempre se destacava com suas jogadas e seus arremessos. Já em Fortaleza continuou jogando nas rodas de amigos na Beira mar .Representou 3 vezes a seleção Mineira no campeonato Brasileiro de basquete, sendo 3º lugar em uma das edições.5 vezes campeão da seletiva de basquete de rua de Fortaleza. No ano de 2005 foi campeão pelo Fortaleza. Em 2007 foi campeão Cearense pela Fometro. Atualmente é o representante do Nordeste no basquete de Rua.

Nome: Gilcimar dos Santos (Gil)
Nasc.:14/05/1980
Altura:2,10
Peso:115
Profissão:Atleta
UF:RJ
Equipe:Liga dos Mutantes Começou com 12 anos em friburgo, jogou no Country Clube de Nova Friburgo, passou um ano jogando em São Paulo e depois disso, passou pelos clubes Tijuca, Vasco, Fluminense, Londrina e São caetano. Foi campeão Sulamericano pela Seleção Brasileira, Campeão Brasileiro pelo Vasco, bi campeão gaúcho. Em 2008 ficou em terceiro lugar na Liibra com a equipe Liga dos Mutantes e em 2009, foi campeão.

Nome:Leandro Rodrigues Nascimento
Nasc.:29/06/1982
Altura:2,00
Peso:98
Profissão:Atleta
UF:RJ
Equipe: Cufa campos

Nome:Luiz Carlos Alves Lima Junior
Nasc.:09/07/1984
Altura:1,93
Peso:110kg
Profissão:Personal trainer
UF:RJ
Equipe:Liga dos Mutantes.
Luís, cresceu vendo o pai e o tio jogarem basquete profissionalmente. O pai, Luís Alves jogou nas equipes do Flamengo e do Vasco e o Tio Orlando jogava na equipe do exército. Em 1991 – Começou na escolinha do Vasco na equipe pré-mirim. Em 1996 – Com 12 anos foi para o Clube do Flamengo, lá jogou nas equipes mirim, infantil, infanto e infanto juvenil, foram 6 anos jogando pelo Flamengo.Em 2002- Com 18 anos foi convidado por um dos diretores do Botafogo para fazer parte da equipe de basquete do Clube. Em 2004 – Foi um ano muito agitado, o jogador Jogou no América, na equipe de Rio Claro em São Paulo e voltou para o Rio para jogar no Jequiá. Em 2005 – Voltou para São Paulo, dessa vez foi jogar na equipe de Sorocaba. Depois voltou para o Rio e jogou no Hebraica.Em 2006 – Jogou no Municipal e no Grajaú sub 23, onde participou do campeonato brasileiro. E foi exatamente nesse ano que Luís recebeu o convite para jogar na Liga dos Mutantes.Atualmente – Há 3 anos faz parte da Liga dos Mutantes e joga na equipe da Universidade Castelo Branco onde faz o curso de educação física.Os fundadores da Liga dos Mutantes, Timbola e Anderson viram Luís jogar e convidaram ele para fazer parte da equipe. Luís é mais conhecido como Tyson, esse apelido surgiu na época que ele lutava box e judô.

5 de jan de 2010

Projeto Pixaim vai circular por 30 municípios



O Projeto Pixaim, que divulga o livro “Cabelo Ruim?” e realiza oficinas de tranças afro, ganhou um novo e importante aliado. O Grupo André Maggi, considerado um dos principais grupos empresariais no setor do agronegócio no país, firmou parceria com os idealizadores do projeto para patrocinar as atividades do Pixaim durante 2010 em 30 municípios de nove regiões do Estado. O patrocínio será feito por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet.








Graças à parceria, serão realizados nos municípios lançamentos do livro, atividades de leitura e demonstrações de tranças afro e apresentação de uma peça teatral baseada na história do livro. “Além de bem estruturado e consolidado no cenário regional, o Projeto Pixaim traduz alguns dos principais compromissos institucionais assumidos pelo Grupo André Maggi, como a busca pela eqüidade de gênero e raça e a promoção da educação”, destaca o presidente do Grupo André Maggi, Pedro Jacyr Bongiolo.

Além de Cuiabá, a ação atingirá os municípios de Rondonópolis, Primavera, Jaciara e Campo Verde (Região Sul); Barra do Garças, Canarãna e Nova Xavantina (Região do Médio Araguaia); Chapada dos Guimarães e Poconé (Região da Baixada Cuiabana); Cáceres, Mirassol d’Oeste, Pontes e Lacerda e São José dos Quatro Marcos (Região Oeste); Vila Rica e Canabrava do Norte (Região do Baixo Araguaia); Barra do Bugres, Diamantino e Tangará da Serra (Região do Médio Norte); Alta Floresta, Colíder, Guarantã do Norte e Peixoto de Azevedo (Região do Nortão); Juara, Juína e Juruena (Região Vale do Arinos). As atividades acontecerão em escolas e outros espaços públicos.
O Projeto Pixaim, será também uma grande ação de incentivo à leitura. Ao todo, cinco mil exemplares do livro “Cabelo Ruim?”, da jornalista e escritora Neusa Baptista, que também coordena o projeto, serão doados a bibliotecas e escolas. Lançado em 2007, o livro conta a história de três meninas – Bia, Tatá e Ritinha – que se vêem às voltas com o preconceito sofrido devido ao fato de serem negras e possuírem o cabelo crespo, chamado pejorativamente de “pixaim”, “bombril” etc. Por meio da amizade, elas descobrem a importância de valorizar sua estética para se sentirem bem consigo mesmas. A obra tem despertado o interesse de pais, educadores, pesquisadores, ONGs e outras entidades de todo o País, e chegou a ser sugerido como dica de leitura nos Cadernos da Conferência Nacional de Juventude, no item “Diversidade”.
O Projeto
Elaborado inicialmente em parceria com a editora TantaTinta, responsável pela publicação do livro, o Projeto Pixaim foi aprovado para captação de recursos via Lei Rouanet em janeiro de 2008. No mesmo período, Neusa Baptista firmou parceria com o Núcleo Maria Maria, da Central Única das Favelas (CUFA-MT), onde o Projeto Pixaim foi inserido, passando a oferecer também oficinas de tranças afro e teatro e agregando a geração de renda como meta. Desde então, várias ações do projeto têm ocorrido em Cuiabá e municípios da Baixada Cuiabana no âmbito do Núcleo Maria Maria, tendo como carro-chefe as oficinas de tranças afro e atividades de leitura voltadas especialmente a mulheres e meninas da periferia. E os resultados já são visíveis. De abril a julho de 2009, o Projeto Pixaim formou cinco trançadeiras, que hoje já geram renda com a confecção das tranças, além de levarem o conceito da autoestima e da valorização da estética negra.
O Projeto também já realizou importantes parcerias, tendo sido reconhecido como Ponto de Cultura, ação do Programa Cultura Viva, coordenado pelo Ministério da Cultura em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura. As ações, que serão desenvolvidas no Centro Esportivo Cultural da CUFA-MT, no bairro São João Del Rey, em Cuiabá, terão duração de três anos, com oficinas de tranças afro, bonecas negras, leitura e diversas outras atividades culturais.“Hoje, o projeto oferece capacitação profissional e, ao mesmo tempo, discute valorização da estética negra, auto-aceitação e autoestima, que são idéias centrais do livro. E é um pouco disso que vamos levar para os municípios”, explicou Neusa Baptista.
Grupo André Maggi
Fundado há mais de 30 anos, é um grupo de empresas do setor do agronegócio que atua na produção e comercialização de grãos, fertilizantes, transporte fluvial e energia. É composto pela Amaggi – Exportação e Importação Ltda... Divisão Agro, Hermasa – Navegação da Amazônia Ltda. e a Maggi Energia. Conta ainda com a atuação social da Fundação André Maggi.
Por Fernanda Quevedo.

1 de jan de 2010

A CUFA É...



Por Notícias Site Uol.


A Central Única das Favelas é uma organização nacional que surgiu através de reuniões de jovens de várias favelas do Rio de Janeiro – geralmente negros – que buscavam espaço na cidade para expressar suas atitudes, questionamentos ou simplesmente sua vontade de viver. Estes jovens, em sua maioria, pertenciam ao movimento hip hop ou por ele eram orientados. A partir das reuniões, descobriram que juntos poderiam sonhar mais e se organizaram em torno de um ideal: transformar as favelas, seus talentos e potenciais diante de uma sociedade onde os preconceitos de cor, de classe social e de origem ainda não foram superados. Assim, fundaram a CUFA, cuja manifestação cultural é o hip hop, mas que busca ampliar e atingir outras formas de expressões, conscientizando e elevando a auto-estima das camadas não privilegiadas, por meio de uma linguagem própria.


Desde 1998, a CUFA funciona como um pólo de produção cultural e através de parcerias, apoios e patrocínios forma e informa jovens de comunidades, oferecendo perspectivas de inclusão social. Promove atividades nas áreas da educação, lazer, esportes, cultura e cidadania – contribuindo para o desenvolvimento humano – e trabalha com oito elementos do hip hop: graffiti (movimento organizado nas artes plásticas em que o artista aproveita espaços públicos, criando uma nova identidade visual em territórios urbanos); DJ (artista que alia a técnica à performance, utilizando pick-ups e discos de vinil); break (estilo de dança de rua originário do movimento hip hop); rap (‘ritmo e poesia’, estilo musical culturalmente herdado das populações latinas e negras e cujas letras retratam o cotidiano das periferias); audiovisual (valorização da imagem como instrumento de mobilização social); basquete de rua (esporte oficialmente embalado pelo rap); literatura (onde os jovens expressam sua arte e suas vivências através da escrita e obtêm conhecimentos relativos às obras ou aos escritores literários) e projetos sociais (conjunto de ações que busca por uma transformação social a partir das comunidades). Além disso, promove, produz, distribui e veicula a cultura hip hop através de publicações, discos, vídeos, programas de rádio, shows, concursos, festivais de música, cinema, oficinas de arte, exposições, debates, seminários e outros meios.


A CUFA, ao longo destes anos, tornou-se um referencial para as comunidades e possui hoje bases de trabalho em vários estados do Brasil, como Minas Gerais,São Paulo, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso e Bahia. No Rio de Janeiro, temos núcleos de trabalho na Cidade de Deus (Jacarepaguá), Complexo Acari, Jardim Nova Era (Nova Iguaçu), Jacarezinho e Pedra do Sapo, para citar algumas.


Por que o hip hop?


• Porque é um movimento cujo gênero musical – o rap – começa a aquecer o mercado fonográfico nacional. O rap, apesar de discriminado e mal compreendido, aponta para novos caminhos de percepção do mundo e da sociedade, incorporando a presença do negro e a tematização ampla da causa negra.


• Porque é um movimento cultural, artístico, político e social que aproxima os jovens alijados de todos os mecanismos de emancipação, indicando formas criativas e alternativas de superar a segregação.


• Porque tem conseguido informar a sociedade de sua relevância, conscientizar o povo da periferia de sua cidadania, oportunizar a arte aos jovens e resgatar vários destes da iminência de vícios, sensibilizando também os que estão neste rumo.


• Porque as populações provenientes das periferias também têm voz e precisam ser ouvidas, enfim, participar enquanto atores sociais do espaço público, ou melhor, conquistar um espaço político.


• Porque é uma expressão cultural que há vinte anos faz parte dos guetos brasileiros e que, mesmo sem a força da mídia, cresce e se fortalece a cada dia, provando que merece ser reconhecido e valorizado.


Existe uma afinidade fundamental entre a militância do hip-hop e os trabalhos da CUFA. O hip-hop é uma solução criada pelos próprios habitantes das comunidades. É um movimento de afirmação identitária composto por elementos que representam a luta em prol dos excluídos e cuja linguagem fala de dentro para dentro, retratando a imagem da periferia como ela é realmente. A favela é um personagem que deve falar por si e participar do diálogo cultural, político e social com outros grupos. O público-alvo e os objetivos que ambos almejam são os mesmos: estimular as ações de protagonismo dos moradores de comunidades, promover uma revolução popular na cultura brasileira...