26 de fev de 2008

2ª Conferência Regional de Promoção da Igualdade Racial

Acontecerá no município de Sinop no dia 09 de março do corrente ano, a 2ª Conferência Regional de Políticas para Promoção da Igualdade Racial.

Organizada pela CUFA - Central Única das Favelas, Núcleo do Movimento Negro de Sinop e Grupo Matogrossense de Capoeira ACALF, a Conferência de Promoção da Igualdade Racial será realizada nas dependências da Sala L13, da Unemat - Universidade do Estado de Mato Grosso.

Joangela Moura, militante do movimento negro de sinop e uma das colaboradoras, ressalta que diversos municípios da região como: Ipiranga do Norte, Santa Carmem, Sorriso e Vera, receberão convites e materiais para poderem estar participando da conferência regional em Sinop.

Diversas manifestações populares serão apresentadas no dia, será um momento importante para conscientização e construção de propostas que viabilizem a institucionalização e concretização de ações em pról da valorização de todo ser humano, intensificando o fim da desigualdade em nosso País, complementa Anderson Maciel, Coordenador da CUFA de Sinop.

Durante a 2ª Conferência Regional que vem com tema principal tema "Avanços, desafios e perspectivas da Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial", serão eleitos por Sinop 06 delegados para representarem e defenderem as propostas elaboradas na Conferência Estadual que será realizada nos dias 28 e 29 de março, lembrando que os outros municípios que participarem terão direito a elegerem 03 delegados cada, todos poderão concorrer a delegados estaduais e participarem da Conferência Nacional, nos dias 29, 30 e 31 de maio de 2008, em Brasília, sob coordenação da Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial).

O que: 2ª Conferência Regional de Promoção da Desigualdade Racial

Onde: Unemat Campus de Sinop Sala L13

Quando: 09/03 - Domingo

Horário: das 14:00h as 18:00h

25 de fev de 2008

Das livrarias para as prisões




Depois de ganhar as prateleiras das livrarias do Rio, Falcão – Mulheres e o Tráfico, obra que revela o lado feminino do crime organizado, será lançado em todo o Brasil, a partir de fevereiro.


Salvador faz pré-lançamento


Antes do lançamento oficial, a capital baiana faz o pré-lançamento do livro Falcão – Mulheres e o Tráfico com evento na Assembléia Legislativa de Salvador, no próximo dia 21, às 14h. Os rappers MV Bill e Nega Gizza têm participação garantida no pré-lançamento, que contará ainda com a presença do Ministro da Igualdade Racial, Edson Santos.


Já no Rio de Janeiro, mais especificamente no Talavera Bruce, o lançamento nacional será marcado por um evento que contará com a presença de Sandra de Sá, Elke Maravilha, Tarso Genro (Ministro da Justiça), Coronel César Rubens Monteiro de Carvalho (secretário de Administração Penitenciária), André Luiz de Azevedo Nascimento (diretor do presídio), Marina Maggessi (deputada federal), entre outros.


Em Falcão – Mulheres e o Tráfico, o objetivo dos autores MV Bill e Celso Athayde é levar pessoalmente as histórias das mulheres retratadas no livro às 26 capitais brasileiras. Mas, em vez da tradicional noite de autógrafos em livrarias, eles querem fazer o lançamento dentro de presídios femininos. Com o objetivo de mostrar a dura realidade das traficantes que inspiraram a obra, Bill e Athayde exibirão nas unidades trechos do documentário que leva o mesmo nome do livro.


Falcão – Mulheres e o Tráfico é um desdobramento de Falcão – Meninos do Tráfico, livro lançado em 2006 também pela editora Objetiva e pela Central Única das Favelas (CUFA). Entrevistando menores envolvidos com o crime organizado em todo o Brasil, MV Bill e Celso Athayde revelaram que a vida bandida desses “falcões” estava diretamente ligada às trajetórias de suas mães, filhas, irmãs, amigas, mulheres e namoradas.


Série de reportagens


Em outubro do ano passado, uma série de seis reportagens publicadas simultaneamente pelo EXTRA e pelo “O Globo” mostrou como é o recrutamento de mulheres pelo crime organizado no Rio e adiantou trechos do livro de Bill e Athayde. O trabalho também revelou que elas já representam 20% dos traficantes. As mulheres desempenham várias funções, incluindo comando de quadrilhas.


Entrevista


MV Bill – Rapper e Escritor

“Queremos debater com quem sofre o problema”


Como surgiu a idéia do lançamento nos presídios?


Essa é uma forma de levar a discussão sobre o assunto a todos os níveis. Nos presídios, poderemos chegar a um diálogo fora do eixo convencional. Já participei de muitos debates, mas levar a discussão para as mulheres nas carceragens é debater com quem sofre o problema na pele.


Vocês passarão por quais cidades?


Queremos ir a todas as capitais. Com certeza, estaremos nas cidades que têm bases da Central Única das Favelas, mas gostaríamos de chegar também àquelas onde a CUFA não está. Já estivemos em Sinop (MT) e, na semana passada, fomos a Goiânia (GO).


Como foram os debates nos presídios do Rio?


A primeira coisa que você nota é a vontade delas de lerem o livro. A maioria não tem o hábito de ler. Em muitos casos, “Falcão – Mulheres e o Tráfico” acaba sendo o primeiro livro delas.


Por: Gabriela Moreira – Jornal EXTRA – 27/01/2008 – Caderno Geral



8 de fev de 2008

Movimentando o Hip Hop, agita o Carnaval Matogrossense

Durante os dias 02, 03 e 04 de fevereiro, representantes da CUFA - Central Única das Favelas de Sinop, estiveram na capital Cuiabá, participando das atividades do Movimentando o Hip Hop e do 2° Encontro Estadual da CUFA Mato Grosso, integradas pelos municípios de Cuiabá, Sinop, Primavera do Leste e Barra do Garças, o encontro contou ainda com a troca de experiências com o Rapper Dyskreto, coordenador da Cufa em Goiânia – GO, e com a Oficina de Comunicação Popular, ministrada por Arlete, coordenadora da Ong PULSAR, parceira da CUFA em Dourados – MS.

A CUFA de Cuiabá, realiza o Movimentando o Hip Hop, na programação do Grito Rock de Cuiabá, e neste ano os resultados foram hiper positivos, haja visto, a importante integração cultural hiphopiana que houve com outros estados não poderia ter sido melhor.

Dando inicio a programação do Movimentando o Hip hop, Dj Cleiton e o Grupo FDK 288 deram o toque cuiabano, agitando o público logo no inicio da movimentação, o público ainda conferiu as performances dos Dj’s Taba e Draw, oriundos do Jardim Vitória – Cuiabá.

A batalha de break, com crews de Barra do Garças e Cuiabá mostrou que Mato Grosso esta fortalecendo cada vez mais a profissionalização do hip hop, em especial no quesito “dança”.

Além do Grupo FDK 288 de cuiabá, os Rappers Gasper e Dyskreto ambos de Goiânia, os Rappers Gasper e Dyskreto ambos de Goiânia, fizeram excelentes apresentações, evidenciando a importância e como vem dando certo a execução das propostas do HIp Hop Fora do Eixo, destaque ainda para o Grupo Linha Dura e Dj Taba, que mostraram o melhor do Hip Hop “Tchapa e Cruz”.

Com toda experiência e charme feminino a Graffiteira Nara de Cuiabá, juntamente com os Graffiteiros Caps (SP), Amarelo e Verme (MS), Faraó (MT), coloriram o Movimentando o Hip Hop, com belas e esculturais obras primas.

Mas em todas noites, as grandes atrações foram os Dj’s de São Paulo Bola 08 e RM. Rockeiros, punks, teatreiros e hiphopers balaçaram ao som do melhor black music. A apresentação dos caras foi prolongada devido êxtase da galera. Bola 08 e Rm tocaram também na batalha de rima, na qual os rimadores fizeram com que o público fosse ao delírio. Muita poesia e classe dos artistas cuiabanos e goianos, ressaltando que ambos os estados fizeram um emocionante duelo, na final da batalha de rima.

Dj Bola 08 é de Santo André, SP e toca no grupo Realidade Cruel. Trabalha com discotecagem a mais de 10 anos e também realiza trabalhos sociais em São Paulo, e em 2007 ganhou o premio de melhor dj no Hutuz Rap Festival.

Já Dj RM, participa do Coletivo Clãs Leste Dj’s e tocou pela primeira vez ao lado de Bola 08. Parece que a parceria deu certo, afinal o publico não parou um segundo.


Confira mais imagens no http://www.flickr.com/photos/cufamt/