31 de dez de 2007

Direção HIp Hop agora é HIP HOP FORA DO EIXO!


Neste domingo chegou ao fim Direção Hip-Hop na emissora de radio CPA fm 105,05.


O programa que vinha sendo apresentado já há algum tempo somente com um DJ no horário das 14:00 ás 18:00, sem locução.Ontem, dia 30/12/07 se despediu com chave de ouro, o programa que foi ao ar, apresentado por MC Ronaldo e o Rapper Linha Dura sob produção técnica dos DJs Draw e Cleiton.


A programação rolou com muita descontração, informação e interatividade com galera de outros estados que estavam na escuta, mandando seus recados como Goiânia e Dourados, alem é claro, de toda população da grande CPA.


No repertório muita música do centro oeste. Assim dando início na programação Hip-Hop Fora do Eixo que irá ao ar oficialmente no dia 06/01/2008 e iniciará o ano com tudo, fazendo várias intervenções ao vivo com entrevistas, com grupos de rap do centro oeste e a galera participando, on line ou por telefone, fazendo aquilo que é a proposta do Fora do Eixo, divulgar o hip-hop sem visibilidade no pouco de mídia que o a cena possui.


O programa promete muito!Qualquer informação é só adicionar a comunidade e o perfil alem do MSN hiphopforadoeixomt@hotmail.com e saber muito mais o que esta rolando em todo centro oeste.


Em breve o blog: http://www.hiphopforadoeixomt.blogspot.com/.


21 de dez de 2007

LANÇAMENTO DO MARIA MARIA EM SINOP - SUCESSO TOTAL

Fonte: Fernanda Quevedo

Depois de vários dias de espera, de Sinop recebeu com muito carinho, Mv Bill e Nega Gizza para o Lançamento do livro Falcão Mulheres e o Tráfico, e do Núcleo de Projetos Maria Maria.

Mesmo debaixo de muita chuva, mais de 200 pessoas compareceram no evento realizado na escola Rosa dos Ventos, que fica na periferia de Sinop.

Foi montada uma mesa, a qual estavam presentes, além de Nega Gizza, conselheira nacional do Maria Maria, e MV Bill um dos escritores do livro, ambos coordenadores da Cufa do Rio de Janeiro, o representante da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (SEPPIR), Antonio Pinto (Toninho), e é claro os coordenadores de CUFA Cuiabá e Sinop, Karina Santiago e Anderson Maciel respectivamente.

Organizações como Conexões dos Saberes da UFMT, MIN Movimento de Inteligência Negra de Cuiabá e a Associação de Moradores do Bairro Palmeiras, fizeram perguntas referentes às políticas de igualdade racial e também sobre o livro, contribuindo de maneira efetiva no debate.

Alunos das oficinas de Break realizadas pela Cufa Sinop fizeram uma brilhante apresentação, assim com a Rapper Taynara, que é instrutora de break e Mc. Taynara compôs uma letra falando sobre o Maria Maria, que agitou a galera.

O livro, escrito por Celso Athayde e Mv Bill, vem mostrando a realidade vivida por mulheres de várias regiões do país no universo do tráfico de drogas, que vivem em uma nova ordem moral, a qual Celso e Bill tentam mostrar para o Brasil.

A situação da mulher em Mato Grosso não se diferencia das mulheres de outras regiões. O Núcleo vem na estratégia de enfrentamento dessas questões, sem fórmulas prontas e acabadas como ressalta Nega Gizza. Mas sim na troca de experiências visando o aumento da qualidade de vida das mulheres das periferias brasileiras.

19 de dez de 2007

Mv Bill e Prefeitura de Sinop discutem melhorias para ações sociais de Sinop

Fonte: Fernanda Quevedo

Nesta tarde terça-feira, Mv Bill e a Cufa se reuniram com o prefeito do município de Sinop Nilson Leitão para propor estrutura básica para andamento de projetos sociais desenvolvidos pela entidade. Hoje a Cufa de Sinop atua com oficinas dos elementos do hip hop na praça União e mais duas escolas estaduais do Município.
MV Bill, Anderson Maciel, coordenador da cufa de Sinop, Karina Santiago e Linha Dura da Cufa de Cuiabá, e o representante da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção de Igualdade Racial Antonio Silva, debateram sobre a atual situação dos jovens do município.Hoje em Sinop, os índices de violência cometidos por jovens são alarmantes, bem como o número de adolescentes grávidas, que é o maior do estado.
Nesse sentido, karina apresentou o Nucleo de projetos Maria Maria que tem como foco a mulher da periferia, seja mulher criança, jovem e adulta. O prefeito simpatizou com o nucleo.

Nilson Leitão, disse que em Sinop não há favelas, mas reconheceu o trabalho desenvolvido pela Cufa e colocou a prefeitura a disposição. Porém ressaltou que os recursos são escassos, e que o orçamento das prefeituras de Mato Grosso estão achatadas. O prefeito falou ainda que a Cufa, como entidade de peso, com relação às políticas voltadas para juventude, deve exercer total pressão no poder publico, para que qualidade de vida dos jovens no Brasil seja melhor.

CUFA: fazendo do nosso jeito, mas não de qualquer jeito!

11 de dez de 2007

Maria Maria apresenta "Falcão Mulheres e o Tráfico", dia 18/12 em Sinop


RODA DE CONVERSAS - MARIA MARIA E NEGA GIZZA


Após sair do período de recuperação pós-gravidez e da produção do Hutúz,Nega Gizza vai tomando fôlego e se preparando para dar novos rumos ao seu trabalho em 2008.



A maior referência feminina da CUFA, vem a Mato Grosso no dia 18/12 para o lançamento do livro Falcão - Mulheres e o Tráfico, evento realizado pela Cufa MT.



Nós do Núcleo de Projetos Maria Maria nos antecipamos e conversamos com a Gizza.
Na entrevista, ela fala da relação positiva das mulheres e a Cufa, sobre o Maria Maria e aponta, ou melhor não aponta estratégias da promoção da igualde de gênero. Afirma que nós mulheres devemos nos incentivar, e criar as nossas opotunidades. Gizza ressalta ainda a importância do papel feminino na política e sobre a Lei Maria da Penha.



Confira a entrevista realizada hoje (07/12).



Maria Maria - Cufa e as mulheres: onde estão os pontos de encontro?


Gizza - Desde o inicio da Cufa, trabalhamos com mulheres atuando em diversas áreas. São mulheres desenvolvendo e articulando projetos, trabalhando na produção junto com os homens, e hoje, liderando várias bases da Cufa por todo o Brasil. Não apenas falamos da importância das mulheres dentro de todo o processo, mas de fato o praticamos. Temos uma tendência de aumentar o numero de mulheres se organizando, com novas responsabilidades dentro da Cufa.


Maria Maria - Gizza, o que é o Maria Maria pra você?


Gizza - Esse núcleo de projetos é o que na verdade a gente faz no nosso cotidiano, mas que vai além. È um programa liderado por e que beneficia as mulheres das comunidades carentes, seja ela mulher criança, adolescente ou adulta. Não fica apenas no âmbito da lei Maria da Penha, trabalha diversas questões relacionadas ao universo feminino, como saúde, lazer, profissional, educação, afinal a questão das mulheres não gira em torno, apenas da violência. De fato, queremos trabalhar no enfrentamento da violência, fazer valer a lei, mas o Maria Maria é mais do que estamos visualizando, é apenas o inicio de toda uma caminhada. Mais importante do que sugerir soluções é apontar o caminho.È protagonismo.



Maria Maria - Por falar em Maria da Penha, assunto que esta na boca do povo, você acha que de fato, políticas públicas como essas contemplam as mulheres da favela? Qual seria a solução para essas mulheres?


Gizza - Existem leis dentro da favela que funcionam e outras que não. A Lei Maria da Penha, apesar de ter mais de um ano, é ainda nova. Ainda não dá pra dizer se ela funciona ou não. Mas é uma lei, e é também papel nosso, fazer com que ela seja efetivada. Existem coisas absurdas acontecendo nas favelas, e por isso deveriam ser criadas leis com o olhar específico voltado para a favela, para as pessoas das favelas. È uma outra realidade que talvez as pessoas não se atentem para isso.



Maria Maria - Hoje a Ministra Ellen Greice do Supremo Tribunal de Justiça é a maior referência feminina da política do país. Mas as mulheres na política ainda são poucas. Como você analisa esse fato? Como a Cufa pode contribuir para esse protagonismo feminino no universo da política?


Gizza - Como? De várias formas. O grande lance é incluir as mulheres em áreas fundamentais, criar oportunidades, nós mulheres devemos criar essas oportunidades.Incentivar umas as outras, mostrar o que estamos fazendo, de forma estamos nos organizando. Eu me sinto cada vez mais entusiasmada quando vejo uma mulher fazendo algo de bom, de produtivo. Da mais força para continuar. Devemos nos envolver, só que não sei qual é formato disso tudo. Vamos construir juntas as estratégias. A mulher que é líder comunitária, por exemplo, já esta exercendo a política. A mulher que é sindica do prédio também, mas vamos ampliar isso, tornado-as uma deputada, uma administradora de um grande negócio e por ai vai. È exercer a prática do poder. Nós na Cufa estamos tentando, do nosso jeito, fazer mudanças, valorizar as diferenças.Valorizar a importância de cada mulher na sociedade.



5 de dez de 2007

MV Bill lança em Mato Grosso livro sobre mulheres e o tráfico de drogas


O rapper MV Bill volta a Mato Grosso no dia 18 de dezembro para lançar o livro "Falcão – mulheres e o tráfico", que relata a realidade das mulheresenvolvidas com o tráfico de drogas em várias partes do Brasil.
O lançamento,que acontece em Sinop, às 20 horas, contará com a presença do parceiro de Bill, o produtor Celso Athayde, e da rapper e locutora de rádio Negga Gizza,do Rio de Janeiro.



Os artistas participarão também de uma mesa-redonda com o tema "Mulheres das periferias de Mato Grosso e as diversas formas de violência", que será acompanhada por lideranças de bairro, representantes de ONGs e do poder público.



A entrada é gratuita.
Mais informações: (65) 3023-8072. e/ou (66) 9903-4650


Assessoria de Imprensa
Neusa Baptista – (65) 6664 1984/92260944
Fernanda Quevedo - (65) 3023-8072/99599554