11 de out de 2007

Pedreiro é atacado por policias em Sinop



Fonte: GAZETA DIGITAL






Da Redação



O pedreiro Jilcimar Tavares, 20, denuncia que foi espancado e torturado por policiais militares pelo fato de não ter documento de identidade para apresentar durante uma abordagem de rotina em uma das praças no município de Sinop, O caso aconteceu na sexta-feira (5) mas somente ontem que ele resolveu denunciar. A vítima, que ainda apresenta no rosto sinais de hematomas, foi abordado por volta das 15h45 na praça União. Na ocasião ele se preparava para dar aulas de "break" para as crianças do bairro, por meio de um projeto que desenvolve pela Central Única das Favelas (Cufa).


O fato ocorreu na última sexta-feira (5), mas até agora a vítima disse não ter conseguido fazer o reconhecimento dos agressores no quartel PM da cidade. Aguarda ainda o encaminhamento por parte da delegacia civil para realização de exame de corpo delito. Depois de agredido pelos PMs, Jilcimar e os amigos foram levados até a Delegacia, onde permaneceram detidos e só foram liberados por volta das 9 horas da manhã do sábado (6).


Jilcimar diz que estava na praça quando chegaram alguns policiais, abordaram ele e dois amigos. Foi feita a revista e a PM pediu os documentos dos três. "Na ocasião eu tinha deixado os meus em casa e respondi que morava perto. O policial, se mostrando alterado e nervoso disse que estávamos detidos por estar sem documentos e que o local era suposto ponto de tráfico de drogas". O pedreiro disse que tentou dialogar dizendo que estudava.


Mesmo assim foram presos e levados ao posto PM do Jardim Boa Esperança. Depois de registrar o BO ele e os amigos foram levados até uma sala e começaram a ser agredidos pelo PM. "Só parou de bater quando comecei a passar mal. Nos puseram de novo no camburão e nos deixaram amontoados um sobre o outro por cerca de uma hora, num calor de 40 graus e depois nos deixaram para a delegacia". Jilcimar acredita que o fato de ser pobre e de cor parda também influenciou no tratamento. "Se fosse de cor branca e estivesse bem vestido, isso não teria acontecido".

Nenhum comentário: