12 de dez de 2009

"Tchapa e Cruz", 1º CD de Linha Dura é lançado pelo Compacto.Rec


Por Osvaldo Tancredo
Jazz, Bossa Nova, Música Africana, Cultura Popoular matogrossense e a força do movimento Hip Hop. É essa mistura que o lançamento deste mês do Compacto.Rec traz. Linha Dura é um rapper cuiabano, que traz nas suas letras o cotidiano da periferia de Cuiabá, capital de Mato Grosso. Carregado de conteúdo sócio-político, as rimas de Linha são apoiadas em discursos de grandes nomes, como Paulo Freire. Paulo Fagner da Silva Ávila, nome de batismo de Linha Dura é um rapper cuiabano engajado em movimento social e militante do Movimento Hip-Hop, desde o ano de 1996. A influência familiar traz em sua veia os sons e ritmos da raiz negra, que agora se mescla com tantas outras que recebeu pelo caminho. Além da música, Linha Dura é produtor de eventos como o Festival Consciência Hip Hop, filiado à Abrafin - Associação Brasileira dos Festivais Independentes - LIIBRA - Liga Internacional de Basquete de Rua etapa Mato Grosso, Movimentando Hip Hop e coordenador Estadual da CUFA MT. O primeiro disco do Linha Dura empresta a expresão "Tchapa e Cruz" como nome, que é o termo dado à pessoa que nasce e morre em Cuiabá. É também o nome de um grupo de Siriri e Cururu - a cultura popular periférica de Mato Grosso - que participa de faixas do CD, como "Identidade". Na música "Pensamento Próprio" vem por um outro caminho de pesquisa, em cima de textos e bibliografia e Paulo Freire criticando o sistema educacional brasileiro sob o beat acelerado. "Só a Capa da Gaita" é outra música marcante do álbum, que acabou se tornando hit do rapper. O CD apresenta mistura a cultura hip hop com a típica cuiabania, com violas de cocho, ganzá, mocho, jazz, toca-disco e o repente, além de ter um de conteúdo político e social que representa as lutas do Movimento Hip Hop em Cuiabá.

Nenhum comentário: