14 de out de 2009

Cufa do Nortão faz estudo sobre aplicação da Lei 10.639/03

Por Katiana Pereira
Coordenadores da Central Única das Favelas (CUFA) se reuniram em Peixoto de Azevedo com representantes da comunidade local e demais entidades do norte do Estado, ligadas ao movimento negro. A reunião aconteceu na segunda-feira (12). O objetivo do encontro foi debater sobre a inserção da Lei 10.639/03.

Essa lei federal diz que é obrigatória à temática "História e Cultura Afro-Brasileira" no ensino fundamental e médio. Anderson Maciel, coordenador da Cufa Sinop, e Daiana Silva, Coordenadora do Maria Maria, junto com associação de moradores, cooperativas, associação comercial e empresarial, discutiram com os demais participantes sobre implementação da referida lei. Foi pautada a possibilidade de criar uma proposta metodológica para trabalhar esse assunto nas atividades da Cufa.




A professora Maria Ivonete disse que as organizações podem colaborar com a aplicação da lei. “A Cufa e demais entidades tem a colaborar trazendo este trabalho para dentro das escolas. Para que os professores posam estar explicando e mostrando a verdadeira personalidade das raízes dos negros”. Professora Ivonete é do AFROMIR, Movimento Afro Pró Igualdade Racial. Ela idealizou o projeto Edu-afro Amazônico.


O projeto da Edu-afro Amazônico é uma parceria da Cufa, AFROMIR, grupo de capoeira Acafl, Unegro além outras entidades, e será de grande abrangência como ressalta Anderson Maciel. “Este projeto tem com principal propósito mapear, através de núcleos de pesquisa nos pólos de Sinop, Peixoto de Azevedo, Colider e Juara. Ver quais escolas já abordam a lei, qual sofreu alteração e incluiu a historia indígena no mesmo contexto”.


Sobre a aplicação dessa lei é importante frisar que o Brasil é possuidor de uma cultura afro-brasileira que faz parte da nossa raiz histórica e que não pode ficar afastada do sistema educacional. Resgatar esta cultura significa valorizar e enriquecer o patrimônio cultural brasileiro trazendo à pauta aos nossos alunos toda construção coletiva historicamente criada pela humanidade.


"Em quanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos havera guerra".
Bob Marley.

Nenhum comentário: