29 de ago de 2007

Festival Calango acontece neste fim de semana em Cuiabá

Serão 47 shows. Haverá ainda debates, mostra de vídeos, exposição sobre a história do rock, entre outras atrações. Dez mil pessoas são esperadas.

por Pedro Acosta I Acosta Arquiva


foto: renato reis


Depois de um mês inteiro movimentando Cuiabá com projetos diversos, o Festival Calango chega a seu ápice. Nos próximos dias 31 de agosto, 01 e 02 de setembro, quase dez mil pessoas devem ir ao Museu do Rio para shows de 47 bandas de todas as regiões do Brasil e do Uruguai. É a quinta edição do Calango e, agora, além dos dois palcos montados para o rock, a música virá ainda de uma tenda comandada por dj's locais. É a junção da música eletrônica ao caldeirão cultural que é o Calango.

Dentro da Cidade das Artes que estará montada no Museu do Rio, por exemplo, haverá espaço para Literatura, Audiovisual e Moda, seja em estandes ou nos debates do Calango Na Mesa. Num festival que se posiciona politicamente como iniciador de várias ações no cenário cultural de Cuiabá e mesmo do Brasil, discutir práticas e conceitos tem papel fundamental.

Por isso, mais de cento e cinqüenta convidados de várias partes do país se unirão agentes locais para grupos de trabalho sobre Música, Vídeo, Literatura e Comunicação: ao fim do festival, os grupos devem concluir a Carta Calango, com novas propostas para a cultura independente. As idéias de trabalho em conjunto e continuado aqui se espalham pelo resto do Calango.
Parceiros incluem outros festivais e produtora goiana - A realização do festival, pela primeira vez, no Museu do Rio se dá dentro de um consórcio de festivais. O primeiro foi o Festival de Siriri e Cururu, no fim de semana passado, e o último será o Kura Del Sur, duas semanas depois do Calango. Juntos (há ainda o 3o. Consciência Hip Hop), e com o apoio das secretarias municipal e estadual de Cultura, os eventos devem promover uma revitalização da área do Museu do Rio, de importância histórica para Cuiabá.

Até chegar aos shows do próximo fim de semana, foram quatro prévias seletivas. A primeira delas aconteceu em maio e solidificou a parceria do cuiabano Espaço Cubo com o selo Fósforo Records, de Goiânia. Lá foram escolhidas duas bandas que tocam no primeiro dia de Calango: Unchronics e Johnny Alfredo & Os Neurônios Mongóis. Mais três prévias aconteceram em agosto, já em Cuiabá: duas na Casa Fora do Eixo e uma no Espaço Cultural Silva Freire, no Coxipó. Esta última, realizada em parceria com o Instituto Mandala, foi vencida pela banda Zen-Fin, que abre o Calango, na sexta-feira.
Entre os destaques, show da uruguaia Supersônicos - Também na sexta, o festival apresenta um show histórico: pela primeira vez, o Calango terá uma banda internacional em sua escalação. São os uruguaios Supersonicos, que apresentarão a Cuiabá sua surf music, no fim da noite. O Calango é membro-fundador da ABRAFIN, que reúne festivais de todo o Brasil, e agora trabalha na expansão de sua rede de relações a outros países da América do Sul.

O trabalho em rede com outros produtores brasileiros é parte da explicação do sucesso nacional de bandas como Macaco Bong e Vanguart. Ambas se apresentam no Calango 2007. O show da Vanguart é especialmente esperado, pois será a primeira apresentação da banda em sua cidade-natal depois do lançamento de seu primeiro disco.

Sucesso no circuito independente, o Móveis Coloniais de Acaju faz sua primeira apresentação em Cuiabá, finalmente: em pesquisas com internautas em anos anteriores, o grupo sempre esteve entre os mais pedidos pelo público cuiabano. O Móveis se apresenta no sábado, uma hora depois da Pública. A banda gaúcha conquistou o público do Grito Rock, em fevereiro, e retorna a cidade sendo apontada como "aposta". Já Daniel Belleza & Os Corações Em Fúria são bastante conhecidos na cidade: o público se rende às performances intensas da banda – seu vocalista já chegou a se cortar no palco.
Calango apresenta debates, mostras de vídeo e exposição histórica - Entre os destaques não-musicais, as mostras do Calango In Vídeo acontecem de sexta a domingo, sempre às 19h00. No programa, há vídeos universitários, videoclipes independentes e curtas underground. As reuniões do Calango Na Mesa acontecem nos mesmos dias, começando às 14h. O foco das discussões deverá ser as novas lógicas de interdependência na produção independente.

Outro marco inédito do Calango 2007 é a apresentação de uma exposição sobre a história do rock. Trata-se do Arquivo do Rock Brasileiro, projeto da paulistana Associação Cultural Dynamite com o patrocínio da Petrobrás. A exposição já foi vista por mais de seis mil pessoas em Brasília e em São Paulo e é focada nos primeiros anos de rock brasileiro. Cobrindo as décadas de 50, 60, e 70, a mostra terá fotos, capas de disco, recortes de jornal, uma linha do tempo e mais de 600 faixas a disposição do público do Calango.
Distribuição - O Calango tem ainda mais um ponto forte. Trata-se do Mercado Mix, espaço privilegiado para o escoamento de produtos culturais da cena independente nacional. Lá selos de todo o país e ainda marcas atuantes no mercado alternativo local comercializarão seus produtos.
O espaço abrigará ainda exposições culturais e oficinas, como as de moda, que serão promovidas a partir das 19h por grifes culturais da cidade.
Apoio - O Festival Calango conta com o Patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso, através do Fundo Estadual de Fomento à Cultura, da Prefeitura de Cuiabá, através da Secretaria Municipal de Cultura e ainda da Sol, Cerveja Oficial do Festival Calango.

SERVIÇO


O QUE: Festival Calango reúne 48 bandas de todo o país em Cuiabá


QUANDO: Dias 31/08, 01 e 02/09 a partir das 18h30


ONDE: Praça do Museu do Rio - Cuiabá - MT

Nenhum comentário: